Gregory Grigoragi/ TV Cultura
Gregory Grigoragi/ TV Cultura

Abel Ferreira confirma proposta de renovação com Palmeiras, fala de seleção e projeta aposentadoria

Treinador português é entrevistado no programa Roda Viva e analisa trajetória no clube alviverde, onde conquistou até agora duas Libertadores, além da Copa do Brasil e Recopa Sul-Americana

Marcos Antomil, especial para o Estadão

21 de março de 2022 | 23h41

O técnico Abel Ferreira revelou, nesta segunda-feira, que já tomou sua decisão sobre a proposta de assinar um novo contrato de três anos com o Palmeiras. O português afirmou que se reuniu com a presidente Leila Pereira na última sexta-feira, com quem teve um conversa franca sobre seu futuro no clube alviverde. Abel, no entanto, disse que os primeiros a saberem de sua decisão serão seus jogadores, mas prometeu torná-la pública em breve. O treinador manteve postura difusa a respeito de sua continuidade no clube e apontou resistência da sua família em se mudar para o Brasil.

O português também indicou esgotamento na função de treinador e sinaliza que pretende mudar de posição no futebol dentro de quatro ou cinco anos. O comandante alviverde comentou a possibilidade de assumir o cargo de técnico da seleção brasileira após a Copa do Mundo do Catar. Tite já deixou claro que não seguirá no comando do Brasil, independentemente do resultado obtido em dezembro. Abel Ferreira disse não fazer planejamentos a longo prazo. "Vivo o aqui e o agora", argumentou o português, que ressaltou estar feliz no Palmeiras e deixou seu futuro "nas mãos de Deus".

Ainda na entrevista concedida ao programa Roda Viva, da TV Cultura, Abel Ferreira comentou a conquista da última Copa Libertadores, em especial o jogo diante do Atlético-MG. O português salienta que o time alviverde teve sorte no confronto, que foi definido pelo critério do gol fora de casa (0 a 0 no Allianz Parque, e 1 a 1 no Mineirão). O técnico do Palmeiras acredita que foi importante para o time ter maiores períodos de descanso após a eliminação precoce na Copa do Brasil 2021, diante do CRB.

Sobre a criação de uma liga de clubes para a organização do Campeonato Brasileiro, Abel Ferreira saiu em defesa do Palmeiras, que foi o único time a se ausentar da reunião que os clubes tiveram com o presidente da Liga Espanhola (La Liga), Javier Tebas, na última semana. "Se há um clube que quer formar a Liga é o Palmeiras. Se há um clube que luta pelos interesses comuns ao futebol brasileiro é o Palmeiras. O problema é que no Brasil, cada um quer defender a sua quinta. Portugal, por exemplo, aprendeu a vender bem o seu produto, é o que falta ao Brasil", analisou.

O Palmeiras acertou a venda de Patrick de Paula para o Botafogo. O treinador elencou fatores que fizeram o jovem perder espaço na equipe, ressaltou que os atletas precisam de foco e humildade no início da carreira e disse entender que a negociação foi boa para as três partes: Palmeiras, Botafogo e jogador. "É uma grande jogador, grande contratação que o Botafogo fez", indicou o português.

Abel Ferreira ainda analisou seu livro "Cabeça fria, coração quente" e sua maneira de agir à beira do campo. O treinador admitiu que sente vergonha dos momentos em que perde a razão, se exalta e que é cobrado por sua mulher para melhorar nesse aspecto. "Só assim posso ser um melhor treinador", afirmou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.