Cesar Greco/ SE Palmeiras
Cesar Greco/ SE Palmeiras

Abel Ferreira diz que faltou 'agressividade competitiva' ao Palmeiras no clássico

Treinador português critica principalmente lance que culminou no primeiro gol do Corinthians no jogo

Redação, Estadão Conteúdo

25 de setembro de 2021 | 22h31

Apesar de considerar que o Palmeiras teve bons momentos na derrota por 2 a 1 para o Corinthians, no clássico deste sábado, na Neo Química Arena, o técnico Abel Ferreira acredita que um dos motivos do resultado final foi a falta de "agressividade competitiva". Com isso, ele quer dizer que alguns momentos pedem mais energia e precisão na hora da marcação ou de disputar uma bola, o que não foi visto em lances pontuais.

"Há uma coisa que se chama agressividade competitiva, há uma coisa que se chama casaca, que se chama experiência, e ela só se ganha jogando. A gente pode matar o lance do nosso adversário fazendo falta. Temos uma regra que, após a perda de bola, temos que fazer falta para matar a transição do nosso adversário. Não tem a ver com jogar com um ou com dois volantes. Nós jogamos com três, tinha que ser diferente a reação após a perda de bola", comentou.

O lance que mais incomodou Abel foi o primeiro gol do Corinthians, marcado por Roger Guedes. Aos 19 minutos do primeiro tempo, Renato Augusto ganhou duas divididas pelo lado direito da defesa palmeirense, após embates com Luan e Patrick de Paula e cruzou para área, onde Giuliano ajeitou para Guedes marcar.

"O primeiro gol do nosso adversário vamos ter que rever. Terei que mostrar a um jogador em particular. A agressividade sem bola tem que ser de outra maneira, e isso se ganha com a experiência. Aos 18, 19, é um risco, mas são bons jogadores, de muita qualidade, o futuro do clube é este", avaliou o português.

Para o treinador, a disposição para ficar com a bola durante a disputa com o adversário faz ainda mais diferença quando está se jogando um dérbi como Corinthians e Palmeiras. De qualquer maneira, embora tenha enfatizado mais de uma vez esse fator negativo, destacou que o time soube reagir.

"Uma coisa que no dérbi você tem que ter, que é agressividade nos duelos. Quando olhamos para o gol que sofremos e a forma que abordamos o lance, é muito fácil identificar que nesses jogos as divididas são fundamentais para ganharmos, não se pode sofrer um gol dessa maneira. Mas a equipe manteve a serenidade, conseguiu impor o jogo e conseguiu chegar ao empate com toda a justiça", afirmou.

Estacionado nos 38 pontos, o Palmeiras segue na vice-liderança do Brasileirão, sem chances de perder posições até o fim desta rodada. Apesar disso, o Flamengo, que joga contra o América-MG neste domingo, pode chegar aos 37, com um jogo a menos que o time paulista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.