Cesar Greco/SE Palmeiras
Cesar Greco/SE Palmeiras

Abel Ferreira promete melhorar comportamento com arbitragem: 'Quero ser um técnico melhor'

Português, no entanto, reclama dos juízes e diz que está 'fácil para eles expulsarem o técnico do Palmeiras'; ou seja, está virando carta marcada pelos árbitros

Ricardo Magatti, Estadão Conteúdo

18 de agosto de 2021 | 09h29

Embora tenha comemorado muito a classificação do Palmeiras à semifinal da Libertadores, Abel Ferreira ainda não esqueceu a expulsão contra o Atlético-MG no último sábado, pelo Brasileirão. Na coletiva de imprensa após o triunfo histórico sobre o São Paulo, o treinador não foi questionado sobre o assunto, entretanto trouxe o tema à tona. Ele fez criticas aos árbitros, mas prometeu se comportar melhor nas próximas partidas. Comentou de "ver um jogo com amor e intensidade".

O técnico português foi expulso três vezes desde que assumiu o Palmeiras em novembro do ano passado. Contra o Ceará, pelas quartas de final da Copa do Brasil de 2020, diante do Flamengo, na Supercopa do Brasil, e a última delas no sábado passado, durante o jogo com o Atlético-MG. E foi essa a expulsão, motivada pelas críticas que fez depois do cartão vermelho controverso de Patrick de Paula, que mais causou revolta no português.

"Está na altura de dizer basta! Fui três vezes expulso desde que cheguei ao Brasil", constatou. "No último jogo, fui expulso e o juiz não soube o que eu disse. Ele escreveu isso na súmula. Não tenho guerra nenhuma contra os árbitros. Sinto, nesse momento, que é muito fácil me expulsar, expulsar o treinador do Palmeiras. Nas três vezes, só uma foi justa. Não gostei da forma que fui expulso e acho que basta, chega", esbravejou o treinador contra a arbitragem.

Abel reiterou que carrega consigo uma personalidade passional e realmente se exalta durante as partidas. No entanto, embora não concorde com algumas marcações dos árbitros, fez a promessa de que irá melhorar o seu comportamento à beira do gramado. "Eu vivo o futebol de forma intensa e apaixonada. Prometo que vou fazer um esforço para me portar cada vez melhor. Gosto de aprender e quero ser um melhor treinador todos os dias", argumentou.

"Mas sinto que a mínima coisa que o treinador e o banco do Palmeiras façam, o árbitro não tem sensibilidade de perceber que o futebol é um jogo de emoções e que se vive de forma intensa", ponderou o português.

Sem Abel Ferreira à beira do gramado, já que ele terá de cumprir suspensão, o Palmeiras volta a campo domingo, às 11 horas, contra o Cuiabá, no Allianz Parque, pela 17ª rodada do Brasileirão. O time é o vice-líder do torneio nacional, com 32 pontos, cinco a menos do que o líder Atlético-MG. Na semifinal da Libertadores, o adversário será Atlético-MG ou River Plate, que decidem a vaga nesta quarta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.