Miguel Gutierrez/EFE - 29/03/2012
Miguel Gutierrez/EFE - 29/03/2012

Abel festeja ao admitir 'vitória injusta' do Fluminense

Reconhecendo o bom desempenho da Portuguesa durante parte do jogo, técnico comemora vitória

AE, Agência Estado

13 de setembro de 2012 | 10h53

RIO - O técnico Abel Braga deixou o Canindé feliz da vida com a vitória por 2 a 0 sobre a Portuguesa, obtida na noite da última quarta-feira, e abusou da sinceridade ao reconhecer que o resultado mais justo para o Fluminense seria uma derrota no confronto. O triunfo manteve o time carioca na liderança isolada do Campeonato Brasileiro, com 53 pontos, e foi fundamental porque, na mesma noite, o vice-líder Atlético-MG bateu o São Paulo por 1 a 0 e chegou aos 51 na tabela de classificação.

"O resultado foi injusto. Para a Portuguesa, perder saiu muito caro, jogou muito melhor do que nós. Eles chegavam a toda hora na cara do goleiro, por isso estou muito feliz com o resultado. Acho que até o empate já seria injusto para a Portuguesa", admitiu o comandante.

O próprio atacante Fred, que é o artilheiro isolado deste Brasileirão e desta vez passou em branco, criticou o desempenho apresentado pelo Fluminense na primeira parte do duelo em São Paulo, mas festejou a eficiência ofensiva do time na etapa final, na qual o time balançou as redes duas vezes em um intervalo de apenas dois minutos. "Apesar do primeiro tempo péssimo da nossa equipe, soubemos ter tranquilidade e na hora que precisávamos matar o jogo nós fizemos os gols", comemorou.

Já o atacante Wellington Nem, autor do segundo gol do Fluminense no duelo diante da Portuguesa, festejou o fato de estar vivendo um bom momento no clube após amargar períodos em que foi atrapalhado por lesões. "Tive uma oportunidade no primeiro tempo e perdi, mas Graças a Deus tive outra no segundo e fiz o gol. Fico muito feliz por isso. Estou tendo uma sequência de jogos, antes estava me machucando muito, mas o meu bom futebol está voltando de novo. Estou muito feliz, e ainda jogando pelo time para o qual eu torço", enalteceu. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.