Nelson Perez / Fluminense FC
Nelson Perez / Fluminense FC

Abel lamenta empate sofrido no fim e pede desculpas por escalar reservas do Flu

Treinador poupou atletas para o confronto de quarta-feira, pela Copa Sul-Americana

Estadao Conteudo

03 de abril de 2017 | 08h18

Apesar de ter mandado a campo um time reserva, o técnico Abel Braga disse que o empate do Fluminense com o Flamengo em 1 a 1, neste domingo, em Cariacica (ES), teve gosto de derrota. Isso porque a equipe tricolor abriu o placar e levou um gol no último minuto, quando estava com um a mais.

"Saímos com o sentimento de derrota, por incrível que pareça. No último momento, na bola parada, sofremos o gol. Mas não posso reclamar porque eles mostraram a confiança que eu tenho neles, que eles têm neles mesmos", comentou.

O treinador destacou especialmente a atuação do Fluminense no segundo tempo, quando teve mais oportunidades de gol, mas parou por pelo menos três vezes nas mãos de Alex Muralha. "Nos próximos jogos não podem ser como os de hoje, que tivemos boas chances e não colocamos a bola para dentro", avisou.

Sobre o fato de ter entrado em campo com o time reserva, Abel Braga pediu desculpas ao técnico do Flamengo, Zé Ricardo, mas informou que não tinha outra opção devido ao desgaste físico. Como o Fluminense já está garantido na parte final do Campeonato Carioca por ter vencido o primeiro turno, o treinador optou por descansar os seus principais atletas, já que nesta quarta-feira estreará na Copa Sul-Americana em duelo contra o Liverpool, do Uruguai, no estádio do Maracanã, no Rio.

"Pedi desculpas antes do jogo ao Zé Ricardo porque em qualquer outra situação eu não colocaria um time suplente. Ele reconheceu que estamos certos. O Zé Ricardo fez o correto de colocar o time titular. É complicado enfrentar um time reserva. Me coloco no lugar do Zé. Mas acontece que o objetivo nesse campeonato já estava alcançado", justificou Abel Braga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.