Alexandre Vidal/Flamengo
Alexandre Vidal/Flamengo

Abel minimiza críticas e se diz satisfeito com produção do Flamengo em 0 a 0

'Não saio chateado, porque nós tivemos o domínio do jogo', explicou o técnico rubro-negro

Redação, Estadão Conteúdo

16 de março de 2019 | 22h06

O técnico Abel Braga procurou minimizar as críticas e algumas vaias da torcida após o empate sem gols do Flamengo com o Volta Redonda, neste sábado, no Maracanã, pela Taça Rio. Com o empate, o time ficou com oito pontos e perdeu a liderança do Grupo C para o Bangu, que chegou aos nove após vencer por 2 a 0 a Portuguesa.

"O torcedor é soberano e nós temos que saber conviver com a crítica. Há quem gosta e quem não gosta deste ou daquele jogador. O torcedor tem sempre as suas objeções, mas acho que no fundo ele entendeu a escalação do Rodinei. Sabendo disso, eu o coloquei como capitão da equipe, porque é um cara que trabalha muito. Três clubes demonstraram interesse nele e ele ficou conosco", disse o técnico.

Sobre o jogo, com a escalações de muitos jovens, o técnico garantiu que aprovou o desempenho time. "Não saio chateado, porque nós tivemos o domínio do jogo. O adversário teve só um chute em gol e tiveram alguns lances discutíveis em jogo. Acho que poderíamos ter vencido. Empatar é chato, ninguém gosta".

Questionado sobre as atuações de alguns garotos, o técnico procurar evitar detalhes. "Não gosto de avaliar garotos. Tanto o Lucas como Vitor Gabriel foram bem; o Ronaldo foi bem no primeiro e no segundo tempo baixou um pouquinho. Entraram também outros jogadores reservas como Rodinei e Trauco. Isso vai fortalecendo o grupo. Independente de quem entrar o torcedor vai ser bem representado", concluiu.

O goleiro Gabriel Batista agradeceu a oportunidade de jogar. "Até o Diego Alves e o César me deram muita força e todos os demais companheiros. Estava bem preparado e confiante. Não tomamos gol e foi uma pena não vencer" explicou.

Neste clima de tranquilidade, até Hugo Moura, que teve um gol anulado no final e que gerou dúvidas, evitou críticas à arbitragem. "O juiz também erra e não é todo jogo que a gente vai ganhar", disse o atacante.

O Flamengo ainda reclamou também de um possível pênalti em um toque de mão de Luiz Paulo dentro da área. "Foi um lance rápido e confesso que não sei se foi ou não pênalti", comentou o jogador da Cabofriense.

O Flamengo não vai ter muito tempo para descansar, tanto que Abel deve escalar um time misto para o jogo contra Madureira, na próxima terça-feira, novamente no Maracanã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.