Abel não dá braço a torcer na Ponte

Depois de se dar mal em casa ao ser goleada pelo Internacional, por 4 a 1, a Ponte Preta tenta se reequilibrar dentro do Campeonato Brasileiro. O técnico Abel Braga não fugiu da responsabilidade pela escalação do time, mas não deu o braço a torcer, argumentando que suas "invenções" funcionaram bem em campo. "Nosso primeiro tempo foi muito bom. Depois tomamos dois gols pelo alto e não deu nada certo", defendeu-se o técnico, muito criticado por jogar sem um lateral e com apenas um volante - Roberto. Ele tentou armar o time com três atacantes, mas Fabrício Carvalho e o argentino Gigena bateram cabeça no ataque, enquanto Nenê foi improdutivo pelo lado esquerdo do ataque. A derrota acabou com uma série de cinco jogos invictos do time, que se recuperou bastante deixando as últimas posições. O saldo de Abel Braga, também criticado por suas substituições estranhas, ainda é positivo. A Ponte soma 30 pontos, ocupa a 16ª posição, com 8 vitórias, 10 empates e 7 derrotas. O próximo jogo da Ponte será contra o líder Cruzeiro, domingo, em Campinas. Mas o elenco ganhou folga até quarta-feira cedo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.