Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Abel pede 'pelo menos 30 mil' no Maracanã para apoiar o Fluminense na quarta

Fluminense perdeu primeiro jogo por 2 a 1

Estadao Conteudo

17 de abril de 2017 | 17h22

O técnico Abel Braga fez um pedido que virou quase um desafio à torcida do Fluminense. Na entrevista coletiva concedida nesta segunda-feira, o comandante tricolor externou seu desejo de ver o Maracanã tomado por torcedores do clube para o confronto de volta diante do Goiás, nesta quarta-feira, em que o time precisa reverter uma desvantagem de 2 a 1 para seguir vivo na Copa do Brasil.

"O que nós queremos é chegar no Maracanã e ver o público de pelo menos 30 mil pessoas. Seria muito legal. É um pedido pequeno. O torcedor já sabe que vai ver em campo um time com alma, vibrante. O jogo começa com uma situação adversa, será fundamental ver o Maracanã como nós vimos contra o Liverpool. O que posso prometer é alma, entrega, vibração, atitude. Isso não vai faltar. O Fluminense vai entrar vibrando em todas as jogadas", declarou.

Para Abel, a presença maciça da torcida pode influenciar no comportamento dos atletas desde o primeiro minuto. "Estou confiante. Nossa equipe tem uma entrega, um espírito de sacrifício muito grande. Por isso, para nós, sair do ônibus e ver uma multidão, como foi contra o Liverpool, será importante. Vamos tentar fazer nosso jogo, marcar alto, pressionar sempre e buscar a vitória. Por isso queremos o torcedor do nosso lado."

O treinador também fez sua parte nesta segunda-feira e escondeu a escalação do Fluminense para o confronto decisivo. O atacante Henrique Dourado, lesionado, está fora e ainda não teve um substituto definido por Abel. O que parece certo é o retorno de Richarlison, que foi desfalque no jogo de ida.

"O Richarlison é um jogador decisivo, que arrasta o zagueiro, dribla, chuta. Ele treinou hoje, mas em separado. Amanhã é um treino mais parecido com o jogo. Vamos ver como ele vai se comportar. Hoje ele fez parte técnica, física, disse que quer jogar, está preparado. É um jogador fundamental. Com ele, tenho uma presença maior na área. Vamos pensar como vai ser, ele pode jogar aberto ou enfiado. É fundamental para nós que ele esteja pronto. Ele quer jogo, então vamos avaliar se ele poderá jogar", disse o técnico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.