Abel quer o fim da ?turma do chinelinho?

O novo técnico do Flamengo, Abel Braga, de 51 anos, chegou nesta quarta-feira ao clube decretando o fim da "turma do chinelinho" - jogadores que passam muito tempo machucados e acabam desfalcando a equipe por diversos jogos. "Não vai ter cartilha nem caráter disciplinador. Mas teremos normas. Quero profissionais quando começar a trabalhar", afirmou o treinador, que assinou contrato por um ano.Na segunda-feira, quando foi apresentado como o novo diretor-técnico do Flamengo, Júnior dissera que escolheria um treinador com pele rubro-negra e que fosse jovem. A opção por Abel, porém, não se enquadraria nestes quesitos já que ele nunca passara pelo clube, como técnico ou jogador. Mas já trabalhara no Fluminense, Botafogo e Vasco. "Agora, a camisa do Flamengo está no sangue. Sempre me perguntei por que nunca tinha vindo para cá", disse Abel, negando em seguida que tenha qualquer vínculo emocional com o Vasco, principal rival dos rubro-negros. "Sou profissional. E onde trabalho procuro dar o máximo de mim."Abel revelou que tinha sido procurado pelo Internacional. Porém, preferiu optar pelo time carioca, mesmo reconhecendo que não era a primeira opção de Júnior para o cargo. Sobre reforços, Abel disse que raramente tocará no assunto, deixando a função para Júnior. Só que o treinador já indicou dois jovens atletas da Ponte Preta - clube em que estava trabalhando e ajudou a fugir da zona de rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Os nomes não foram revelados. Além deles, também estão cotados os volantes Carlos Alberto, ex-São Paulo, e Zé Luís, do Marília.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.