Cesar Greco/Palmeiras
Cesar Greco/Palmeiras

Abel se irrita com questão sobre tabu e diz que Palmeiras pode 'mudar a história'

Treinador não gostou de questionado sobre o fato do alviverde nunca ter vencido o São Paulo pela Libertadores

Redação, Estadão Conteúdo

21 de julho de 2021 | 23h26

A primeira pergunta que o técnico Abel Ferreira ouviu na coletiva de imprensa desta quarta-feira, após vencer a Universidad Católica por 1 a 0 e avançar às quartas de final da Copa Libertadores, foi sobre o fato de o Palmeiras nunca ter vencido o São Paulo na disputa do torneio continental. O rival tricolor será o adversário do time palmeirense na próxima fase, mas o português considerou que não era o momento de tratar do assunto e minimizou o tabu.

Em oito Choques-Reis disputados na história da Libertadores, o Palmeiras perdeu seis e empatou dois. O treinador se mostrou incomodado com o tema e disse não acreditar que o histórico do Choque-Rei tenha influência sobre o duelo que está por vir. "Primeiramente, pensei que iam dar os parabéns à minha equipe por passar à fase seguinte, mas vou responder. Para mim não há tabus, apesar da história ser contra o Palmeiras, nós vamos procurar, como desde que chegamos aqui, mudar a história", afirmou.

Além disso, o São Paulo foi deixado de lado porque o Palmeiras já precisa mudar de foco, em meio à intensa maratona de jogos, que, segundo Abel, impede a equipe de desfrutar da classificação conquistada nesta noite, no Allianz Parque. No próximo sábado, o time enfrenta o Fluminense, pela 13ª rodada do Brasileirão, novamente em casa.

"Primeiro, é 24 horas para recuperamos para jogar contra o Fluminense daqui a dois dias. Esse tem que ser nosso grande foco, não dá para desfrutar das vitórias porque já temos outro jogo a seguir", lamentou. "O treinador tem que jogar dois jogos ao mesmo tempo: o jogo que está jogando e o jogo seguinte", completou.

Durante a coletiva, o treinador palmeirense voltou a se irritar com as perguntas, pois esperava uma abordagem mais ampla do desempenho da equipe. Novamente incomodado, ele fez algumas observações, elogiou a atuação dos seus comandados e ainda comentou as boas defesas feitas pelo goleiro Pérez, do time chileno.

"Ninguém me fez essa pergunta, mas vou dar parabéns pela exibição do Palmeiras, pelas quantidades que criou. Eu tenho que dizer isso: as perguntas não falam do jogo. Assim como vocês me criticam quando faço asneiras, eu pergunto se alguém viu a qualidade do jogo de hoje, as oportunidades que criou com Dudu, Wesley, Breno, Rocha, Kuscevic, Felipe Melo. Não deveria ter ficado 1 a 0. Dar os parabéns ao time já que não teve pergunta nesse sentido, pelo jogo sério, eficaz, e enaltecer o goleiro do adversário, que se não fosse ele poderia ter saído com outro resultado", pontuou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.