Sebastiao Moreira / AP
Sebastiao Moreira / AP

Abel valoriza 'capacidade mental' do Palmeiras para arrancar empate no Morumbi

Treinador fica satisfeito com o resultado de 1 a 1 com o São Paulo, que garante uma pequena vantagem para decidir no Allianz Parque

Ricardo Magatti, O Estado de S.Paulo

11 de agosto de 2021 | 06h38

Acostumado a ir além das discussões técnicas e táticas, Abel Ferreira gostou da atuação do Palmeiras no empate com o São Paulo e fez questão de valorizar, mais de uma vez, o que ele chamou de "grande atitude mental" da equipe para buscar a igualdade depois de sair perdendo no duelo de ida das quartas de final da Libertadores. As equipes ficaram no empate por 1 a 1.

O treinador ficou satisfeito com o que viu, especialmente em relação à postura de seus comandados depois de sofrerem o gol de Luan na segunda etapa. Patrick de Paula, que entrara na etapa final, marcou de falta o gol que definiu o placar e deixa o Palmeiras com a vantagem de jogar pelo empate sem gols na volta, no Allianz Parque.

"Hoje mostramos uma grande capacidade mental, grande força mental e grande atitude competitiva. Só gente muito focada é capaz de vir na casa do São Paulo, após uma derrota em casa contra o Fortaleza, e dar a resposta que deu hoje", enalteceu o treinador português. Na sua avaliação, a equipe reagiu bem ao gol sofrido, conseguiu se impor e deveria ter saído de campo com a vitória, considerando o volume de jogo e as chances criadas.

"Sofremos um gol contra a corrente do jogo. O adversário tem qualidade, organização e a minha equipe teve uma capacidade mental muito forte. Sofremos o gol, mantivemos o foco e a calma. Fomos capazes de impor nosso jogo e com toda a justiça fizemos o gol do empate", opinou Abel. "E se tivesse vencedor, teria que ser o Palmeiras porque as oportunidades mais flagrantes foram nossas", argumentou.

O português também entende que o Palmeiras jogou com "coragem e caráter" no duelo decisivo no Morumbi. "Para ganhar uma vez é preciso talento. Para ganhar de forma constante é preciso caráter. E fomos o que demonstramos hoje. Caráter, personalidade, força, vontade e grande atitude mental", afirmou.

O Palmeiras segue sem vencer o São Paulo na história da Libertadores - são seis derrotas e três empates - mas conseguiu a vantagem de poder jogar pelo empate sem gols no Allianz Parque, terça-feira que vem, às 21h30. Na partida que definirá o semifinalista, Abel espera que seus atletas continuem competindo ao máximo.

"É um jogo de 180 minutos. E jogos da Libertadores são muito competitivos e equilibrados. É o que esperamos em casa", considerou. "Para passar para a fase seguinte, temos que continuar competindo durante o jogo todo. Sofrer quando tiver que sofrer e impor nosso jogo como fizemos hoje".

O treinador se anima com a possibilidade de classificação porque entende que, hoje, Palmeiras e São Paulo estão no mesmo nível, ao contrário do que se viu no Campeonato Paulista, torneio em que o rival levou a melhor na final e saiu com o título.

"Começamos a temporada com níveis diferente de capacidade física. Pena que não assumimos logo cedo que o Paulista seria pra dar oportunidade a todos. Nosso adversário se preparou melhor para o Paulista e agora as equipes estão no mesmo nível".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.