Abelão resiste na Ponte, apesar do desastre

Mesmo lutando desesperadamente para não cair para a Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro, a Ponte Preta, desde o início da competição, manteve o técnico Abel Braga no comando do time. O treinador tem grande parte de culpa nos péssimos resu ltados apresentados pelo clube, mas também foi um dos responsáveis por manter a união do grupo desde que chegou ao Majestoso.Com seu jeito de "paizão", o treinador, que não recebe salários há sete meses, comprou a briga contra a torcida e, com o respaldo da diretoria, igualou-se a Vanderlei Luxemburgo (Cruzeiro), Muricy Ramalho (Inter-RS), Emerson Leão (Santos) e Paulo Bonamig o (Coritiba), que continuam em seus clubes desde o início do Brasileirão. Só que em situação totalmente adversa."Passamos por tantos problemas que nos manter na primeira divisão será uma conquista muito maior que a de Palmeiras e Botafogo, que voltaram à Série B este ano", desabafou o treinador pontepretano.Na Ponte, entretanto, Abel vem se mostrando um treinador perdedor. Em 45 jogos, conquistou apenas dez vitórias e, mesmo que vença o Fortaleza no próximo domingo, já é o time que menos venceu na competição. Nos demais jogos empatou 18 e perdeu outras 17 v ezes.A má campanha na Ponte é o reflexo de sua carreira. Em 224 partidas como treinador em Campeonatos Brasileiros, tem 69 vitórias, 70 empates e 85 derrotas nos 14 times que trabalhou em 11 edições da competição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.