Abertura da Copa do Mundo de 2014 deve ser em São Paulo

Governador José Serra propõe 1.º jogo na capital e final do Mundial no Rio; Ricardo Teixeira gosta da idéia

Guilherme Carvalho, do JT, e Anne Warth, da Agência Estado,

29 Agosto 2007 | 14h12

A comissão de inspeção da Fifa passou nesta quarta-feira por São Paulo, uma das 18 cidades brasileiras que são candidatas a receber jogos da Copa do Mundo de 2014, caso ela seja mesmo realizada no Brasil. Os cincos inspetores da entidade visitaram o Estádio do Morumbi, tiveram encontros com as autoridades locais e saíram com uma boa impressão do projeto da capital paulista.São Paulo foi a quarta cidade visitada pelos inspetores, que já passaram por Rio, Brasília e Belo Horizonte. Antes de conhecer as dependências da capital mineira e do Distrito Federal, eles já haviam conhecido os projetos de 13 municípios candidatos, que lhes foram apresentados durante três dias de reuniões na capital carioca. Agora, nesta quinta-feira, será a vez de vistoriar por Porto Alegre. E na sexta, o trabalho termina com volta ao Rio.Em São Paulo, o destaque da visita desta quarta-feira foi o governador José Serra, que surpreendeu os presentes no almoço no Palácio dos Bandeirantes ao defender que a final da Copa de 2014 seja no Rio, enquanto a capital paulista ficaria com o jogo de abertura do torneio. "Acho justo que a final seja realizada no Maracanã, centro da tradição do futebol brasileiro", disse Serra, que lembrou que o grito de campeão do Brasil está engasgado na garganta de todos os brasileiros desde a Copa de 1950, quando, justamente no Maracanã, a seleção brasileira perdeu a final para o Uruguai. "São Paulo pode ser a cidade da abertura da Copa."O presidente da CBF, Ricardo Teixeira, gostou da idéia de Serra, mas assegurou que a capital paulista terá um papel importante no Mundial de 2014. "O governador foi muito solícito ao deixar a final da Copa para o Rio, mas São Paulo terá papel fundamental, pois é o maior centro urbano do País", disse o dirigente.Mas o fato é que, apesar do desejo de Serra, as 12 cidades que irão receber jogos da Copa ainda não foram escolhidas pela Fifa. Tudo depende dessa vistoria que está sendo feita agora, determinante também para definir, no dia 30 de outubro, se o Brasil será mesmo a sede de 2014.Segundo as autoridades e dirigentes que acompanharam a visita desta quarta-feira, os inspetores da Fifa gostaram do projeto de São Paulo. Os trabalhos do dia começaram com a vistoria ao Morumbi. Lá, eles assistiram também a um vídeo com detalhes das alterações que serão feitas no estádio, caso ele seja escolhido para sediar jogos da Copa, e tiraram várias dúvidas, principalmente em relação às acomodações dos torcedores e ao novo estacionamento."Um alto dirigente da CBF nos confidenciou que essa foi a melhor apresentação feita até agora", revelou o assessor da presidência do São Paulo Futebol Clube, João Paulo de Jesus Lopes. "Fizemos uma apresentação objetiva, com um vídeo bastante esclarecedor sobre as reformas que serão feitas no estádio para atender as exigências da Fifa."As principais mudanças abordadas no vídeo apresentado aos inspetores referem-se à construção de um amplo estacionamento ao lado do estádio, com capacidade para 4.800 vagas, à diminuição da capacidade do estádio de 80 mil para 62.882 torcedores e à ampliação da sala de imprensa, que passaria a acomodar até 3.200 jornalistas.Segundo João Paulo de Jesus Lopes, não há no projeto nenhuma previsão de investimento público. "O São Paulo pretende arrecadar recursos através de parcerias com empresas privadas, possivelmente com os patrocinadores da Copa", disse o dirigente são-paulino.Após a apresentação do projeto do novo Morumbi, o inspetor de acomodação da entidade, o mexicano Jaime Byrom, fez um sinal de positivo ao português Jorge Batista, responsável pela mídia. Além deles, fazem parte da comissão enviada pela Fifa o mexicano Hugo Salcedo, o espanhol Jorge Yarza e o suíço Walter Gagg.Após a visita ao Estádio do Morumbi, que começou às 10h15 e foi até às 11h30, os comissários, sempre acompanhados do prefeito Gilberto Kassab (DEM), do governador José Serra (PSDB), do presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, e do presidente da CBF, Ricardo Teixeira, entre outros, visitaram o Hospital Albert Einstein e seguiram para o Palácio do Bandeirantes. "A grande preocupação da Fifa sempre foi em relação a hospitais, rede hoteleira e transporte para as massas. E isso São Paulo tem de sobra, como provamos a eles", explicou Lopes. Um dos trunfos do estádio são-paulino, aliás, é a previsão da construção até 2012 da estação São Paulo-Morumbi do Metrô, que ficará a 1.100 metros do estádio e terá capacidade para até 80 mil pessoas.Serra, inclusive, descartou a possibilidade de o estádio são-paulino não ser utilizado na Copa - existiria até um plano de construção de um novo  na cidade. "A proposta não foi aprofundada, mas chegou a ser levantada. Estamos apostando no Morumbi", explicou o governador.Os inspetores da Fifa, como sempre, evitaram as entrevistas - prometem se pronunciar apenas quando acabar a vistoria, na sexta-feira. E também não puderam fazer dois programas que estavam previstos em São Paulo: o passeio de helicóptero sobre os principais pontos da cidade, por causa do mau tempo, e a visita às estações de Metrô Alto do Ipiranga e Imigrantes, que foi cancelada.Enquanto isso, o prefeito Gilberto Kassab garantiu que a cidade já está preparada parta receber os jogos da Copa de 2014. "Tenho certeza absoluta de que a delegação da Fifa leva de São Paulo a melhor impressão", afirmou.Para isso, os inspetores da Fifa ainda tiveram um pequeno show pouco antes de viajarem para Porto Alegre. Durante um coquetel no Aeroporto de Congonhas, viram uma apresentação da Bachiana Orquestra Jovem e da bateria da escola de samba Vai-Vai, que tocaram um repertório que misturou música clássica com o batuque do samba.Atualizada às 20 horas

Mais conteúdo sobre:
Copa 2014

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.