Enric Fontcuberta/EFE
Enric Fontcuberta/EFE

Abidal confessa traição com jogadora agredida do PSG e esposa pede divórcio

Chip do telefone da meio-campista Kheira Hamraoui, alvo de um ataque com barras de ferro, estava no nome do ex-jogador do Barcelona e da seleção francesa; hipótese de vingança é investigada

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de novembro de 2021 | 12h39

Hayet Abidal, esposa do ex-jogador francês Eric Abidal, anunciou nesta sexta-feira que vai pedir o divórcio depois que o ex-jogador da seleção francesa confessou que tinha um relacionamento com Kheira Hamraoui, meio-campista do Paris Saint-Germain que foi atacada em uma emboscada. Segundo a Procuradoria de Versalhes, o chip do telefone da jogadora estava no nome do ex-lateral do Barcelona

Protagonista de um caso bizarro que chamou a atenção internacional, Hamraoui estava voltando de um jantar promovido pelo PSG quando o veículo em que estava de carona com Aminata Diallo, sua colega de time, foi fechado por um outro carro. Dois homens encapuzados abordaram as jogadoras e agrediram a atleta de 31 anos com vários golpes com barras de ferro na região das pernas.  

Inicialmente, a principal suspeita caiu sobre Diallo, que estava a seu lado no veículo e ficou detida pela polícia local durante 36 horas, mas depois liberada sem acusações por falta de provas. Os investigadores achavam que a atleta queria lesionar a companheira para ter mais tempo de jogo, mas mudaram a linha de investigação quando descobriram novas pistas. 

Durante o ataque, Hamraoui e Diallo ouviram um dos agressores dizer: "Assim dormimos com homens casados, não?". O agressor também teria ligado para Abidal pouco depois do episódio. Ao Le Parisien, o advogado de Abidal, Olivier Martin, disse que o seu cliente ainda "não está direta nem indiretamente ligado à agressão", declarou.

De acordo com uma fonte próxima ao caso, Hamraoui disse aos investigadores que seu cartão de celular estava "em nome de seu ex" e estabeleceram que o proprietário era o ex-jogador Eric Abidal, diretor esportivo do Barcelona entre 2018 e 2021, período em que a jogadora pertencia ao clube espanhol. Segundo a Procuradoria de Versalhes, a hipótese de uma vingança amorosa é "uma pista considerada entre outras", sem descartar a possibilidade de Abidal e sua esposa testemunharem.

“Quanto ao caso judicial em si, Hayet espera poder limpar sua honra e reputação, manchada por boatos, e reitera seu desejo de ser ouvido o mais rápido possível, em um caso que já reclamou várias vítimas colaterais”, afirmou. acrescentou Nicolas Cellupica, advogado da esposa de Abidal. 

Por sua vez, Hamraoui pediu privacidade durante as investigações das autoridades e evitou falar de Abidal. A atleta pretende esperar "com serenidade" o desenvolvimento das investigações das autoridades para conhecer os culpados "o quanto antes" e diz que "tem a firme intenção" de voltar a representar "as cores" do PSG "com orgulho". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.