Abramovich pensa vender Chelsea a multimilionários árabes

Russo não teve nenhum interessado, mas cogita-se que pode pedir pelo meno 880 milhões de euros

EFE

18 de janeiro de 2009 | 10h54

O magnata russo Roman Abromovich estuda a possibilidade de vender o Chelsea a multimilionários árabes, diz o tablóide britânico Sunday Times. Representantes do empresário viajaram à Arábia Saudita e a Dubai para sondar possíveis interessados no clube inglês. Veja também: Bate-Pronto - No futebol, saem os russos, entram os árabesPelo menos uma dessas reuniões foi com membros da família real saudita, diz a publicação, segundo a qual até o momento não há informações sobre alguém interessado. Um porta-voz do Chelsea disse no sábado que Abramovich continua totalmente comprometido com o clube londrino, no qual investiu centenas de milhões de libras, e classificou a notícia como uma "bobagem". Abramovich comprou o Chelsea em 2003, por 60 milhões de libras (R$ 206 milhões) mais um passivo de 80 milhões (R$ 276 milhões). Desde então, o magnata investiu pelo menos 500 milhões de libras (550 milhões de euros, ou R$ 1,7 bilhão) em créditos ao clube para a contratação de novos jogadores. Segundo algumas fontes, se Abramovich ver na venda uma maneira de recuperar o dinheiro investido pode decidir de desfazer do clube. Fontes do mercado financeiro de Londres acham que Abramovich poderia cobrar pelo menos 800 milhões de libras (880 milhões de euros, ou R$ 2,7 bilhões) pelo clube. Por conta da atual crise econômica, Abramovich viu sua fortuna diminuir consideravelmente. Segundo o Sunday Times, o magnata russo pode ter perdido 3 bilhões (R$ 10,3 bilhões) de um total de 11,7 bilhões de libras (R$ 40,3 bilhões).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.