Epitácio Pessoa/Estadão - 14/2/2014
Epitácio Pessoa/Estadão - 14/2/2014

Absolvido de doping, Deco afirma: 'Só comprova o que eu já sabia'

Ex-jogador ainda não sabe se vai processar responsáveis pelo erro

O Estado de S. Paulo

28 de maio de 2014 | 19h18

SÃO PAULO - Absolvido das acusações de doping pelo Tribunal Arbitral de Esportes (CAS) da Fifa, o ex-jogador Deco agora está tranquilo. Após encerrar a carreira em setembro de 2013, e sofrer com a situação, o craque, que atuou em clubes como Barcelona, Porto, Corinthians e Fluminense foi até as últimas instâncias para provar aquilo que ele já sabia: de que não havia consumido nenhuma substância ilícita.

"Foi feita uma análise no laboratório da Fifa e foi dado negativo. Não teve doping nenhum. Então a análise do laboratório, do Ladetec (até então único no Brasil autorizado pela Wada, a Agência Mundial Antidoping, a fazer os testes) é que foi o erro", afirma Deco. "Só vem comprovar o que eu já sabia. Lógico que eu perdi muitas coisas. Na época eu estava jogando e talvez isso possa ter ajudado a antecipar o fim da carreira. Perdi contratos. Perdi coisas. Isso não pode acontecer com erro. Eu sei exatamente o que eu usei durante toda a minha carreira. Ou era um problema da farmácia que fez as vitaminas ou um erro de analise da urina", falou.

O Ladetec foi descredenciado pela Wada desde 25 de setembro de 2013, meses depois de ter emitido o parecer sobre o suposto doping de Deco. O motivo da punição foi justamente uma sequência de erros. "Eu fui até o final para provar sabendo aquilo que eu tinha feito, que eu não tinha tomado nada demais, que não tinha tomado nada proibido, mas acho que mais do que só provar o erro, acho que fica uma mágoa não só no meu caso, mas principalmente de outros atletas que também devem ter sido diagnosticados o doping com erros de analise", explicou o jogador. Deco foi inicialmente condenado pela STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) a um mês de suspensão e chegou a voltar a jogar. Após encerrar a carreira, acabou sendo novamente julgado e levou uma pena maior.

"Independente se estava no final, no começo ou no meio da carreira. É complicado, porque a primeira notícia que sai no caso de doping, é o nome doping. E doping é muito forte. E quando você é absolvido ou quando comprova o erro a notícia não é tão grande quando sai o resultado"

JUSTIÇA

Deco ainda não decidiu se vai abrir um processo contra os responsáveis pelo erro. O ex-jogador está em Portugal e volta ao Brasil na próxima semana para conversar com seus advogados. "Para mim o principal era provar e que isso ficasse claro, que acabasse a minha carreira como sempre foi, sem nenhuma mancha. Mas vou ver", explicou

Tudo o que sabemos sobre:
FifaDecofutebolFluminensedoping

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.