Abuda sonha com restaurante para a mãe

A conquista do Campeonato Mundial Sub-17, no fim de semana, a ascensão recente ao time profissional do Corinthians e um cheque no valor de R$ 10 mil, oferecido hoje pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), como prêmio pelo título, despertaram no atacante Abuda a idéia de ainda este ano realizar um sonho de sua mãe, Maria da Glória, que trabalha como empregada doméstica em São Luís, capital do Maranhão. "Vou investir tudo para comprar um restaurante e registrá-lo em nome de minha mãe", contou. Abuda estava exultante, assim como os outros colegas que conquistaram na Finlândia o tricampeonato mundial sub-17 invictos, derrotando na final a Espanha, por 1 a 0. Eles foram homenageados hoje pela CBF com almoço numa churrascaria da Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. "Mamãe sabe fazer como ninguém feijoada, lasanha, tortas de camarão e de caranguejo; então nada mais justo que ela ganhe dinheiro com isso", prosseguiu Abuda. Ele já atuou em quatro jogos do time principal do Corinthians e foi o autor do gol da vitória contra o Guarani, em 19 de julho, pelo Campeonato Brasileiro. No Mundial, marcou quatro vezes. Em meio à festa, com brindes e fotos dos atletas ao lado de dirigentes da CBF e do ministro do Esporte, Agnelo Queiroz, o técnico da equipe, Marcos Paquetá, destacava a maturidade do jovens campeões. "O maior mérito do grupo foi a coletividade." Os outros títulos mundiais da sub-17 foram conquistados em 1997 e 1999.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.