Acesso anima o capitão da Portuguesa

O zagueiro Sílvio Criciúma está muito animado com a possibilidade de ver realizado o sonho que persegue há três anos: voltar à Serie A do Brasileiro. ?Para mim é uma questão de honra. Em 2002, disputei o Rio-São Paulo pela Portuguesa e fui para o Atlético-PR, onde tive uma contusão. Depois disso, não consegui mais time na Série A. Fiz os dois últimos campeonatos pelo Sport. Em 2003, ficamos em quarto e no ano passado fomos mal. Agora, temos uma boa chance de subir? . Vencer a Série B não é novidade para ele, que foi campeão pelo Goiás em 1999. ?Foi uma alegria muito grande, mas se subir agora vai ser maior ainda porque esse campeonato foi o mais difícil de todos. Tanto que o Vitória e o Bahia caíram. Nós estamos nessa briga para subir, sem dúvida?, disse o zagueiro. A receita para chegar ao quadrangular final, segundo Sílvio Criciúma, é vencer os três jogos no Canindé e conseguir, ao menos, um empate fora. ?Com dez pontos, acho que ficamos pelo menos com a segunda vaga. Por isso, não podemos vacilar. Vamos buscar os três pontos já no primeiro jogo para ganhar moral?, afirmou o capitão de time, do alto de sua experiência de 34 anos. A motivação de Johnson, atacante de 26 anos, é outra. Ele é angolano e aposta em uma convocação para o Mundial de 2006, caso Angola, que está em primeiro em seu grupo, consiga garantir a vaga na partida restante. Giba aposta nessa vontade para incentivá-lo ainda mais. ?Corre Johnson, corre, que eu quero te ver na Copa do Mundo?, gritou muitas vezes o treinador, pedindo que Johnson chegasse à linha de fundo e fizesse os cruzamentos rasteiros. ?Ele é velocista e forte. Ali, pela direita, vai levando os adversários e consegue cruzar. Se ninguém marcar duro, ele faz o gol?, contou Giba, sobre seu Grafite angolano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.