Fatih Saribas / Reuters
Fatih Saribas / Reuters

'Achei que era gripe simples', diz goleiro turco que pegou coronavírus

Adversário do Brasil na Copa de 2002, Rustu admite ter subestimado a doença

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de abril de 2020 | 11h07

Rustu Reçber, goleiro da seleção turca na Copa do Mundo de 2002, revelou ter subestimado o novo coronavírus. O ex-jogador afirmou ter acreditado que a doença não se passava de uma gripe simples, mas notou que os sintomas são mais complexos. Ele havia contraído o vírus em março e chegou a ser hospitalizado.

"Tenho de admitir que no início subestimei a coisa por achar que se tratava de uma simples gripe. Mas depois a febre continuava subindo. Comecei a ficar realmente preocupado e fui para o hospital. Foi uma das batalhas mais difíceis da minha vida. O meu corpo estava enfraquecido. Tive de enfrentar um tratamento muito pesado, mas, felizmente, o pior já passou e estou em casa", disse Reçber, ao portal italiano Tutto Mercato Web.

O ex-jogador ainda contou, que, nos primeiros dias, a doença se manifestava de forma branda, mas, aos poucos, outros sintomas surgiram. "No primeiro dia, tive apenas uma leve dor de garganta, no segundo tive febre, mas não passou dos 37,5 graus. Entrei em contato com meu médico de família e comecei a tomar remédios e analgésicos, mas nesse meio tempo perdi também apetite, olfato e paladar, além de sempre ter uma tosse estranha", explicou.

Em 2002, a Turquia chegou às semifinais da Copa do Mundo. Na ocasião, o goleiro foi vazado quatro vezes em seis jogos. O turco sofreu a maioria dos gols contra o Brasil, seleção pela qual enfrentou duas vezes na competição. A primeira, na fase de grupos, onde foi derrotado por 2 a 1, e a segunda, na semifinal, por 1 a 0.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.