Acordo entre Ponte Preta e o atacante Finazzi emperra

Ainda não foi desta vez que a Ponte Preta conseguiu realizar o antigo sonho de ter em seus quadros o atacante Finazzi. As negociações continuam, mas até o início da noite não houve um acordo final. Por outro lado, o time iniciou o período de pré-temporada na cidade de Itapira, distante 45 km de Campinas.Os contatos foram mantidos durante todo o dia pelos dirigentes ponte-pretanos com Wilson Resende, procurador do atleta que se encontra na cidade de Goiânia. Os valores estão praticamente definidos, mas há ainda uma dúvida sobre a duração do contrato.Finazzi deseja assinar por quatro meses, o suficiente para disputar o Campeonato Paulista. A Ponte prefere um contrato anual, já garantindo ao artilheiro no Campeonato Brasileiro da Série B. Uma eventual proposta do exterior também impede o acordo final.Enquanto alguns chegam, outros deixam o clube. São os casos do meia Caio e do atacante Didi, ambos revelados pelo clube, e que foram emprestados para o Londrina, que vai disputar o Campeonato Paranaense. O objetivo é que ambos ganhem experiência e a medida também atende a necessidade de enxugar o grupo de jogadores.Na série de mudanças no departamento amador, a direção confirmou a contratação de Sérgio Guedes, ex-técnico da Portuguesa Santista e São Carlos, para orientar o time de juvenil.Quem perdeu o emprego foi Monga, ex-ídolo da torcida na década de 90. Evair, ex-centroavante do Guarani e do Palmeiras, assumirá o time de juniores após a Copa São Paulo.

Agencia Estado,

05 de janeiro de 2007 | 19h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.