Acordo fica próximo e Lei de Responsabilidade deve ser votada este ano

Grupo Bom Senso FC se encontra com representantes do Ministério do Esporte para ajustar mudanças no projeto de lei para votação 

Almir Leite, O Estado de S. Paulo

18 de agosto de 2014 | 20h41

Uma reunião entre o Bom Senso FC e o Ministério do Esporte encaminhou o acordo para as alterações no texto da Lei de Responsabilidade Fiscal do Esporte. No encontro realizado nesta segunda-feira, em São Paulo, grande parte das divergências apontadas pelos representantes dos jogadores foi resolvida. Assim, abre-se a possibilidade de o projeto ser levado à votação na Câmara ainda este ano, em setembro ou, mais provavelmente, após as eleições.

“Estamos chegando perto do acordo. O momento é de afinar os pontos e fazer com que o projeto seja aprovado”, disse Toninho Nascimento, secretário nacional do futebol. "Existe pressa para aprovar o projeto, mas a gente prefere fazer tudo bem direitinho", afirmou, sobre o prazo. Caso todas as dúvidas sejam sanadas e as partes - representantes dos jogadores, clubes e governo - entrem em acordo até o fim do mês, o texto poderá ser apreciado nas duas sessões da Câmara marcadas para os dias 2 e 3 de setembro.

A principal preocupação do Bom Senso FC era que os clubes cumprissem o acordo de renegociação das dívidas. O grupo pedia uma fiscalização efetiva do processo, e punição aos que não cumprissem o acordo. Mas já há o acordo da criação de um órgão que vai fiscalizar as finanças dos clubes, o que tranquilizou os representantes dos jogadores. Resta, agora, definir a periodicidade dessa fiscalização. O Bom Senso pede que seja mensal, e não anual. “Isso está sendo discutido, ainda não é um processo acabado”, disse Fernando Prass, que estava presente na reunião.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCBFBom Senso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.