Acosta, ou Lula Molusco, quer jogar no ataque no Corinthians

Uruguaio está na expectativa de voltar ao time titular e explica sua preferência pela posição ofensiva em campo

Marcel Rizzo, Jornal da Tarde

06 de março de 2008 | 12h11

O meia-atacante Acosta pode ser uma das novidades do time titular do Corinthians para o jogo contra o Guaratinguetá, domingo, pelo Paulistão. Mesmo tendo participado do treino numa equipe com 13 jogadores, o que não garante seu lugar na equipe, ele diz estar pronto para voltar, na posição que o técnico Mano Menezes quiser. Mas não esconde a preferência pelo ataque.Veja também: Corinthians, na dúvida, treina com 13 jogadores no time titular Corinthians assina carta de intenções para construir arena"Mandei embora a má fase um pouquinho, estou trabalhando muito mais tranqüilo, estava muito ansioso antes, e meus companheiros me ajudaram muito nessa parte. Onde o professor mandar eu jogar eu vou jogar", diz o uruguaio. Ele fala como quer jogar. "Se forem dois meias e dois atacantes, eu prefiro jogar como atacante; agora se o professor quiser, eu jogo de meia, não tem problema, mas se tiver dois atacantes na frente, eu prefiro ser um meia com poder de chegada".Sobre o possível parceiro de ataque, o uruguaio não tem problemas quanto ao parceiro. Com cada opção, um estilo, mas Herrera parecer ser a melhor alternativa. "Se eu jogar no meio ou como avante, tem diferença: se eu jogar com o Herrera, é bom porque ele se movimenta muito, pra mim é muito mais fácil. Se for com o Dentinho, chegando na frente como contra a Ponte [Acosta jogou como um atacante mais parado], também é bom."Outro assunto que Acosta faz questão de mostrar tranqüilidade é sobre o fato de não ser escalado no time no fim de semana. Há uma ponta de frustração em seu discurso, mas nada que atrapalhe. "Acho que já me sentia titular antes da suspensão, mas quem manda é o professor, eu gostaria de jogar. Vamos esperar".APELIDOPara reforçar a adaptação ao grupo de jogadores do Corinthians, Acosta conta que já ouve até algumas brincadeiras. "Não tenho apelido, é Beto mesmo [seu primeiro nome é Alberto]. Bom, às vezes me chamam de Lula Molusco", confessa. A personagem citada pelo uruguaio faz parte do desenho animado Bob Esponja, exibido no Brasil pelos canais Globo e Nickelodeon. Ele já era chamado assim, discretamente, desde os tempos de Náutico.Outro fato que o acompanha desde sua passagem por Recife é a discussão sobre o número da camisa que gostaria de usar. Ele continua conhando com a possibilidade de trocar no Brasileirão da 10 para a 25, que seria seu número de sorte. "Me disseram que jogaria com a 25 no Brasileirão, mas o professor disse que não tem nada a ver. Eu gostaria de jogar com a 25 sim", disse, contando que Mano Menezes negou a mudança. O departamento de marketing do clube ainda não oficializou a troca.  

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansAcostaPaulistão A-1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.