Acosta pede ajuda aos companheiros para embalar no clube

Contratado para ser a principal estrela corintiana na temporada, jogador ainda não fez jus ao investimento

29 de janeiro de 2008 | 20h44

"Facilitem para mim, me dêem a bola rasteira, nos pés". O pedido, aos companheiros de equipe, é do atacante uruguaio Acosta. Contratado para ser a principal estrela corintiana na temporada, o jogador ainda não fez jus ao investimento e foi vaiado pela torcida em dois jogos (São Caetano e São Paulo). Não se abateu e prometeu, a partir desta quarta-feira, contra o Sertãozinho, mostrar todo o seu potencial. Se depender da alegria de Acosta, o torcedor corintiano pode esperar que ele faça boa exibição contra o Sertãozinho. Sempre caladão e fechado, o uruguaio estava mudado nesta terça-feira. Brincou bastante, principalmente com os garotos Dentinho, Lulinha e Everton Ribeiro, deu várias gargalhadas e fez um gol de cabeça no treino.  "Ele está tranqüilo e preparado para nos ajudar", garantiu Everton Ribeiro. "Está confiante e brincalhão. Aprendeu nossos apelidos e fica nos castigando." Acosta realmente apresentou mudanças nesta terça-feira. Muito provavelmente pelo calor humano recebido em Cravinhos e em Ribeirão Preto, onde foi ovacionado e incentivado por torcedores do Corinthians. "Vamos lá Acosta, faça três no Sertãozinho, confiamos em você", pediu uma torcedora, logo após ver o uruguaio autografar a camisa de seu filho, um jovem deficiente, e tirar fotos com o menino. Os companheiros também querem dar uma força para o uruguaio. E o pacto para ajudá-lo a embalar foi revelado pelo volante Perdigão, um dos mais experientes do elenco do Corinthians. "O Acosta é inteligente, frio nas cobranças, não se abate e já começou a mostrar seu cartão de visitas. Com certeza, vai ser o nosso grande ídolo", avisou o jogador. Quando chegou a clube, Acosta prometeu lutar para ser artilheiro do Corinthians. Até agora, ele só fez um gol, muito bonito por sinal. Mas quer aproveitar a seqüência de jogos contra times do interior para embalar e chegar voando nos clássicos.

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansAcosta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.