REUTERS/Ivan Alvarado
REUTERS/Ivan Alvarado

Acostumado com neve, Fernandinho minimiza o frio do Chile

Seleção brasileira deve estrear sob um frio intenso em Santiago

ALMIR LEITE, ENVIADO ESPECIAL A SANTIAGO, O Estado de S. Paulo

07 de outubro de 2015 | 08h00

Brasil e Chile vão jogar na noite de quinta-feira no Estádio Nacional de Santiago sob um frio intenso.  A meteorologia prevê que temperatura caia até a 5 graus Celsius durante a partida, que tem início previsto para as 20h30, e a sensação térmica poderá dar  a  impressão de que estará ainda mais frio. Para um jogador da seleção brasileira, isso não é problema. Fernandinho acha que pode até ser benéfico.

O volante se acostumou a jogar sob baixa temperatura nos oito anos que passou no Shakhtar Donetsk, da Ucrânia. Atuou diversas vezes com neve. Por isso, tira de letra o frio. "Com o frio, você tem a possibilidade de fazer uma atuação melhor. O calor desgasta mais o atleta e interfere no rendimento de ambas as equipes", explicou. "No frio, pode ser que o futebol seja mais legal, mais bem jogado, e espero que isso possa acontecer."

Para a partida contra os chilenos, o técnico Dunga terá realizado apenas três treinamentos, somente dois deles com todos os jogadores à disposição.  Diante dessa situação, Fernandinho acha que as conversas do treinador com os atletas têm grande importância para o time. "Tem hora que a conversa é fundamental. São dois treinos com o time completo e na  véspera do jogo é uma coisa mais leve. Então a parte teórica é superimportante",  defende.

Na seleção de Dunga, Fernandinho disputa a posição de segundo volante com o corintiano Elias. Espera ser mantido no time, mas admite que são poucas as diferença de característica entre eles. "Temos um perfil um pouco parecido, altura, estilo de jogar, que não costumamos ficar com a bola no pé, dando dinâmica ao time. Elias nesse último ano no Corinthians tem mostrado a chegada na área. Eu não chego tanto, procuro organizar mais no meio, com alguns chutes de longa distância", comparou.

Sobre o Chile, primeiro adversário nas Eliminatórias, Fernandinho prevê um jogo complicado, pelas qualidades individuais e coletiva do adversário. "Eles têm um goleiro (Bravo) muito bom, joga bem com os pés, faz umas invertidas boas de bola. Os zagueiros são rápidos, pressionam quase na linha de meio de campo", analisou.

Ele também percebeu que o meio-campo chileno pressiona muito quando o adversário está de posse da bola e entende que o atacante Alexis Sánchez, em boa fase no Arsenal, pode fazer a diferença.

O volante do Manchester City inglês considera a estreia da seleção brasileira importante, apesar de as Eliminatórias serem longas, pois na sua opinião servirá como parâmetro para a equipe. "É bom estrear com vitória na casa do Chile, com jogadores que mereceram chegar a esse patamar, vai ser muito difícil. Mas temos tudo para superar as dificuldades e assegurar a vitória", encerrou Fernandinho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.