Acusações a Marcelinho não preocupam

O Corinthians não se intimida com as provocações da Ponte Preta, cujos jogadores acusam Marcelinho de desleal, e garante que está pronto para a decisão de uma das vagas da final da Copa Brasil, na noite desta quarta-feira, em Presidente Prudente. O técnico Wanderley Luxemburgo reagiu com naturalidade às declarações dos atletas adversários que criticaram o comportamento de Marcelinho na vitória do Corinthians por 2 a 0, domingo, em São José do Rio Preto, resultado que dá ao campeão paulista o privilégio de se classificar até com a derrota por um gol de diferença."Encaro tudo como coisas do futebol. Não será por causa do que eles disseram sobre Marcelinho que eu vou tirar meu jogador da partida. Cabe ao árbitro agir para evitar que o clima de rivalidade prejudique o espetáculo. Se o Marcelinho ou qualquer outro jogador cometer uma infração que mereça o vermelho, terá mesmo de ser expulso", disse o técnico do Corinthians.O treinador garantiu a escalação do meia. "Se eu não escalar o Marcelinho, depois vão falar mal de um outro meu atleta e também vou ter que tirá-lo da equipe. Negativo, o Marcelo está confirmado para a partida", afirmou Luxemburgo.O motivo da rixa foi uma entrada dura que Marcelinho deu no zagueiro Rodrigo no primeiro tempo do jogo em São José do Rio Preto. O atleta do time de Campinas chegou a insinuar que o meia do Corinthians é mau caráter. Luxemburgo disse na entrevista coletiva, no início da tarde, que ainda não havia assistido ao teipe do lance, por isso evitou comentar se houve maldade do seu jogador. "Mas não me preocupo com o que o adversário fala do Marcelinho. Contra o Santos também criaram um clima semelhante na véspera do último jogo contra o Santos", disse o treinador.Quanto à partida desta quarta, Luxemburgo garantiu que não vai mudar o esquema e mantém Müller no lugar de Gil. A dúvida está no gol: Maurício, que se recupera de uma contusão no músculo adutor da coxa direita, só deverá ter a escalação confirmada pouco antes da partida.Gléguer está na expectativa para ganhar nova oportunidade na equipe. O treinador não imagina se o adversário será mais ousado no ataque. "Dependendo da maneira como eles vierem para o jogo, posso mudar a colocação de alguns atletas, mas não altero a escalação", garantiu Luxemburgo.O trabalho do treinador é fazer com que os jogadores mantenham o empenho pela vitória, sem imaginar que a classificação já está garantida. Luxemburgo admitiu ter ocorrido certa acomodação da equipe na segunda partida da final do Campeonato Paulista contra o Botafogo.Depois da vitória por 3 a 0 no primeiro jogo, em Ribeirão Preto, os jogadores tiveram uma atuação discreta no empate sem gols no segundo jogo. Desta vez, disse Luxemburgo, além da vantagem ser inferior, o técnico ressaltou que a Ponte pode complicar a situação para sua equipe. "Não se trata de teatro", repetiu o treinador do time paulista. "Ainda falta confirmar a classificação."

Agencia Estado,

05 de junho de 2001 | 15h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.