Rubens Chiri / São Paulo
Rubens Chiri / São Paulo

Acusado de agredir garota em festa, Everton, do São Paulo, nega

Pai do jogador e suposta vítima registram Boletins de Ocorrência em incidente ocorrido na madrugada de terça

O Estado de S. Paulo

12 de dezembro de 2018 | 16h44

O meia-atacante Everton, do São Paulo , foi acusado de agredir uma garota de 21 anos na sua cidade natal, Nortelândia, a cerca de 230 km de Cuiabá (MT). A suposta vítima, Joanna Darc Campos Dourado, afirmou em Boletim de Ocorrência e em post no Facebook (apagado posteriormente) ter recebido um "murro" do atleta. Por meio de nota enviada pela sua assessoria, o jogador negou. 

"O jogador Everton Cardoso, do São Paulo, nega qualquer incidente envolvendo o seu nome. O que houve foi uma invasão da casa onde ele estava com a família na cidade de Nortelândia, no Mato Grosso, e os invasores foram convidados a se retirar pelo segurança do jogador. O pai do atleta, Evandro Campos, registrou essa invasão na polícia local. O caso está na justiça e o jogador e sua família esperam que os invasores sejam punidos", diz a nota. A informação foi publicada inicialmente pelo Globoesporte.com.

O pai do são-paulino, Evandro Campos, também registrou B.O., mas por invasão de domicílio. A Polícia Civil promete apurar o caso, ocorrido na madrugada de terça, quando o jogador comemorava o aniversário de 30 anos na casa de um amigo.

Na versão do acusado, Joanna teria entrado na festa acompanhada de mais duas pessoas, sem que tivessem sido convidadas. Acabaram retiradas da casa por um segurança. Já a garota disse à polícia que foi até o local para tentar "tirar uma foto" e, ao ser expulsa do local, acabou agredida por Everton, pelo irmão dele, Ebert, pelas esposas dos dois e por um segurança. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.