Oscar Del Pozo/AFP
Oscar Del Pozo/AFP

Acusado de fraude fiscal, Mourinho vai a corte em Madri e diz que pagou impostos

Hoje técnico do Manchester United, português é investigado por passagem no Real Madrid em 2011 e 2012

Estadão Conteúdo

03 Novembro 2017 | 10h34

Em audiência em uma corte de Madri, nesta sexta-feira, José Mourinho declarou às autoridades espanholas já ter quitado qualquer saldo pendente de impostos devidos ao país, referentes ao período em que trabalhou no Real Madrid.

+ Mourinho mira vaga antecipada na Liga dos Campeões e vê Lukaku 'intocável'

"Fui informado que uma investigação foi aberta e me disseram que, para regularizar minha situação, eu tinha que pagar uma certa quantia de dinheiro", declarou Mourinho a jornalistas na saída do juizado na capital espanhola.

"Eu não reivindiquei, nem apelei, apenas paguei e assinei um acordo e um ato de compliance com o Estado, confirmando que estava tudo fechado. Por essa razão, estive aqui hoje por apenas cinco minutos para dizer a mesmas coisas que estou dizendo a vocês", completou. Na audiência, Mourinho respondeu somente aos questionamentos feitos pelo seu advogado.

Conforme processo aberto em junho deste ano, Mourinho foi acusado de crimes contra a Fazendo Pública em relação ao Imposto de Renda de Pessoas Físicas nos exercícios de 2011 e 2012. Ao todo, o português teria deixado de pagar 3,304 milhões de euros (cerca de R$ 12,575 milhões), sendo 1,611 milhão de euros (aproximadamente R$ 6,131 milhões) em 2011 e 1,693 milhão (R$ 6,443 milhões) em 2012. As taxas foram deduzidas sobre seus ganhos com direitos de imagem, não sobre o salário que recebia do Real Madrid.

Logo após o início da ação do governo espanhol contra o português, a empresa que cuida da carreira do técnico, Gestifute, divulgou um comunicado informando que ele já tinha pago "mais de 26 milhões de euros (R$ 98,9 milhões) em impostos, com uma taxa média de 41%, e aceitado as propostas de regularização feitas pelas autoridades fiscais espanholas em 2015 referentes aos anos de 2011 e 2012 e entrado em acordo acerca de 2013".

José Mourinho segue sendo investigado e, nas próximas semanas, o juiz decidirá se prossegue com a acusação ou arquiva o caso envolvendo o treinador português.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.