Acusado de fraude, Messi promete colaborar com Justiça

Acusado de fraude, Messi promete colaborar com Justiça

Craque argentino e seu pai prestam esclarecimentos por envolvimento em caso milionário

AE-AP, Agência Estado

27 de setembro de 2013 | 11h17

GAVA - Lionel Messi e seu pai compareceram nesta sexta-feira a um tribunal espanhol, na cidade de Gava, para prestar esclarecimentos em relação ao caso de fraude fiscal milionária no qual estão envolvidos. O astro do Barcelona foi ouvido pelo juiz da corte local por cerca de meia hora, logo depois de Jorge Horácio Messi ter sido interrogado.

Depois do interrogatório, Messi e seu pai deixaram o tribunal em carros separados, enquanto o advogado do melhor jogador do mundo, Cristóbal Martell, revelou que a família de seu ilustre cliente prometeu colaborar com a Justiça e consequentemente evitar bater de frente com as leis fiscais espanholas.

Martell destacou que a família de Messi prometeu agir com "transparência, clareza e com um senso de cooperação", assim como adiantou que as "coisas estão indo bem hoje" para que tudo seja resolvido com a Justiça espanhola. "Ficou evidente que havia pouca intenção de cometer fraude e uma grande vontade de normalizar a situação com a administração fiscal, assim como não ficar envolvido em uma batalha feroz com o Estado em uma tentativa de interpretar os regulamentos fiscais atuais", disse o advogado na porta do tribunal de Gava, que fica ao sul de Barcelona e perto da residência de Messi.

Uma denúncia apresentada pelo Ministério Público da Espanha, em junho, acusou Messi e seu pai de terem tentado esconder ganhos do jogador obtidos por meio da exploração de direitos de sua imagem nas declarações de imposto de renda de 2007, 2008 e 2009. A Justiça alega que eles sonegaram cerca de 4 milhões de euros em impostos atrasados acumulados neste período.

O pai de Messi fez um pagamento de mais de 5 milhões de euros, em 14 de agosto, para cobrir impostos atrasados, cobrados com juros. Por causa do pagamento, o tribunal que analisa o caso entendeu que nem Messi e nem seu pai precisariam arcar com o pagamento de uma fiança.

A audiência realizada nesta sexta-feira serviu para esclarecer se há indícios claros de ilegalidade. Se isso tivesse ficado provado, de fato, o juiz poderia pedir para que Messi e seu pai fossem julgados, o que impediria um acordo com a Justiça fora dos tribunais.

Se o caso for a julgamento e Messi e seu pai forem considerados culpados, eles poderiam ser condenados a pagar uma multa de até 150% sobre o valor dos impostos atrasados e até correriam o risco de passar um tempo na cadeia.

O craque do Barça e seu pai, porém, sempre negaram qualquer irregularidade, sendo que nesta sexta-feira o atleta chegou ao tribunal sorrindo, vestindo camisa e um blazer, sem gravata. Na sua chegada, ele foi aplaudido por um grupo de fãs, muitos deles crianças, e cerca de 100 jornalistas e fotógrafos aguardavam pela passagem do argentino.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.