Adaílton e Lima ganham chance no time do Santos

Jogadores devem defender a equipe na partida deste sábado contra o Botafogo pelo Campeonato Brasileiro

Sanches Filho, O Estado de S. Paulo

15 de outubro de 2008 | 19h36

O técnico Márcio Fernandes optou por fazer o mais simples, sem inventar, e já definiu os substitutos do zagueiro Fabiano Eller e do atacante Kléber Pereira, ambos suspensos. Adaílton entra na zaga e Lima joga no ataque do time do Santos, que enfrenta o Botafogo, sábado, no Rio, pela 30ª rodada do Brasileirão.  Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão Adaílton e Lima foram testados no time durante o jogo-treino desta quarta-feira, contra o Paulista, no CT Rei Pelé, em Santos. Os titulares atuaram apenas no primeiro tempo, quando houve empate de 0 a 0 - depois, os reversas venceram por 2 a 0, com gols de Wesley e Tiago Luís.  "Fiquei feliz com o meu desempenho no jogo-treino. Dei umas chegadinhas nos adversários e não perdi nenhuma disputa de bola", afirmou Adaílton. "Estou com a ansiedade natural, porque, afinal, vou estrear no Campeonato Brasileiro. E meu sentimento é de confiança e de muita vontade, mas sem exagero." Adaílton admitiu que se apegou a Deus nos momentos de incerteza durante os seis meses em que ficou parado: passou por cirurgia por causa do rompimento dos ligamentos cruzados do joelho esquerdo e, depois, fez uma artroscopia no mesmo joelho por causa de um choque com um companheiro, quando estava quase pronto para voltar. "Não cheguei a entrar em depressão, mas, quando via jogos pela televisão, com jogadores fazendo alguns movimentos, ficava em dúvida se voltaria ao normal", contou o zagueiro. "Aproveitei a longa ausência para me aproximar da espiritualidade." Como atuou inúmeras vezes ao lado de Domingos no ano passado, Adaílton acredita que terá o seu trabalho facilitado nessa volta ao time do Santos. "Ele (Domingos) atravessa uma grande fase, o que aumenta a minha confiança. Vou marcar pela esquerda e ele pela direita. Quando o adversário atacar pelo lado dele, fico na sobra e quando for pelo setor, saio para dar o primeiro combate", explicou o zagueiro. Enquanto Adaílton já fala como titular, Lima ainda não foi avisado que vai ter a incumbência de substituir Kléber Pereira no sábado. Mas sabe que pode ter uma oportunidade contra o Botafogo. "Esse jogo é como se fosse a última chance para mim e tenho consciência da importância de fazer um gol. Preciso disso porque ainda não marquei no Campeonato Brasileiro. Sou realista, sei que não fui o que esperavam e que estou devendo", reconheceu o atacante. Escolhido por Márcio Fernandes por ser um jogador que fica mais fixo na área, Lima espera ter uma boa atuação no sábado para convencer a diretoria santista a renovar seu contrato - seu compromisso atual vence no dia 31 de dezembro.

Tudo o que sabemos sobre:
Santos FCBrasileirão Série A

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.