Adebayor pede renúncia do presidente da CAF

O atacante Emmanuel Adebayor pediu a renúncia do presidente da Confederação Africana de Futebol (CAF), Issa Hayatou, após a decisão de suspender Togo das próximas duas edições da Copa Africana de Nações, por ter abandonado a atual edição do torneio.

AE-AP, Agencia Estado

31 de janeiro de 2010 | 08h54

O atacante do Manchester City estava no ônibus da seleção de Togo que foi metralhado na província angolana de Cabinda, dois dias antes do começo do torneio. O atentado, no dia 8 de janeiro, provocou a morte de dois membros da delegação togolesa.

Em entrevista ao jornal esportivo francês L''Equipe, Adebayor disse que Hayatou "já fez muito pela África, mas agora deve ir. Esta decisão é monstruosa", disse o atacante, reclamando da atitude da CAF, que anunciou também um multa de US$ 50 mil à Federação Togolesa de Futebol por causa da interferência política no esporte, já que o governo solicitou o abandono da seleção da Copa Africana de Nações.

"Eles estão rindo da cara de todo mundo", disse Adebayor.

"[Faure Gnassingbé, presidente de Togo] nos enviou para defender as cores da nossa nação. Ele considerou que a ameaça à nossa equipe não estava encerrada e nos chamou de volta ao país. Somos apenas embaixadores. Tivemos que voltar", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.