Ademir: o Ituano continuará azarão

Se depender do técnico Ademir Fonseca, o Ituano vai entrar na final do Superpaulistão na condição de azarão. Ele, porém, não poupou elogios à reação do seu time no segundo tempo contra o Corinthians e, apesar da derrota, por 3 a 2, considerou justa a classificação para a final. "Sinceramente, nós merecemos. Fomos um time valente e muito capaz. Além disso, é preciso considerar que enfrentamos o Corinthians, talvez o melhor time do Brasil no momento", disse o técnico. Ele ainda, entre abraços de dirigentes e jogadores, achou tempo para defender o atacante Basílio que teria "colocado mal as palavras" ao dizer que o Ituano é um time pequeno. "Não temos uma nação por trás como o Corinthians e nem somos do porte do Palmeiras ou São Paulo fora de campo, mas lá dentro o que vale é a disposição para vencer". Sobre o São Paulo, Fonseca exige muito respeito. "Conheço bem o trabalho do Oswaldo Oliveira, lá do Rio de Janeiro, e sei que os times dele são valentes. Será uma grande final", completou. O técnico evitou criticar o juiz Romildo Correia pelo terceiro gol corintiano, marcado de falta por Ricardinho, pegando a defesa desatenta. "Acho que foi imaturidade nossa. Mas nosso grupo é jovem e fez por merecer a vaga". Basílio - O atacante Basílio, que na hora da marcação do segundo gol colocou o dedo indicador na boca, mandando a torcida do Corinthians ficar calada, acredita que sua equipe pode surpreender também o São Paulo. "Se repetirmos o que fizemos contra o Corinthians, temos condições de levar o título", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.