Zoraide Diaz/Reuters
Zoraide Diaz/Reuters

Adeus ao 'eterno' Maradona: mundo da bola se despede de um de seus maiores jogadores

Ídolo argentino deixou um legado de irreverência por onde passou

Raul Vitor, especial para o Estado

25 de novembro de 2020 | 16h03

“Eterno”. Esse foi o adjetivo escolhido pelo mundo da bola para se referir a Diego Armando Maradona no dia de seu falecimento. Considerado uma das figuras mais geniais do futebol mundial, o ídolo argentino deixou um legado de irreverência. Não à toa e sem exceções, todas as equipes que um dia o tiveram como jogador fizeram questão de homenageá-lo.

Argentino Juniors (1976-1981)

Boca Juniors (1981-1982 e 1995-2001)

Barcelona (1982-1984)

Napoli (1984-1991)

Sevilla (1992-1993)

Newell’s Old Boys (1993-1994)

Seleção Argentina (1977-1994)

O mesmo aconteceu com os clubes que um dia o tiveram como adversário. River Plate, Real Madrid e Roma classificaram Maradona como “uma lenda do futebol mundial”. A CBF, que representa a seleção brasileira, disse que o argentino “contribuiu para disseminar a paixão dos sul-americanos pelo esporte”. Já Pelé, que por anos rivalizou com Diego, afirmou ter “perdido um amigo”. 

E não foi só Pelé que se despediu de Maradona dentre os ex-jogadores brasileiros. Paulo Roberto Falcão, Romário e Rivellino também se despediram. Em vídeo, o ídolo do Internacional afirmou que o argentino foi um “semideus do futebol”. Já Romário, no Twitter, escreveu que “perdeu um amigo”. Rivellino, no Instagram, disse que “Diego era uma pessoa especial”. Antonio Careca, que dividiu os gramados com o argentino, também deixou sua homenagem.


 

Lionel Messi, considerado um sucessor de Maradona na seleção argentina, lamentou a morte de seu ídolo. Outros dois protagonistas do futebol mundial, Neymar e Cristiano Ronaldo, também prestaram homenagens. O português se referiu a Diego como um "mágico inigualável", enquanto o brasileiro afirmou que o "futebol agradece o legado deixado pelo argentino". 

Outro a ter se manifestado foi o ex-lateral argentino Juan Pablo Sorín. Em uma postagem, ele relembrou um encontro com o astro e comentou a participação dele em reuniões e bastidores da seleção.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.