Reprodução
Reprodução

Adidas pede que Fifa estabeleça padrões transparentes de ética

Parceira 'encoraja entidade a seguir padrões transparentes'

Emma Thomasson, REUTERS

27 de maio de 2015 | 10h54

A companhia alemã de artigos esportivos Adidas pediu nesta quarta-feira que a Fifa faça mais para estabelecer padrões de conformidade transparentes após a prisão de vários dirigentes, incluindo o ex-presidente da CBF José Maria Marin, sob suspeitas de corrupção.

"O grupo Adidas está totalmente comprometido em criar uma cultura que promova os mais altos padrões de ética e conformidade, e esperamos o mesmo de nossos parceiros", disse a Adidas em comunicado via email.

"Após as notícias de hoje, podemos apenas encorajar a Fifa a continuar a estabelecer e a seguir padrões de conformidade transparentes em tudo o que fazem".

A Adidas, associada à Fifa desde 1950, já havia expressado preocupações em junho do ano passado por alegações de corrupção ligada à escolha do Catar como sede da Copa do Mundo de 2022, dizendo que o debate público negativo não era bom para o futebol, para a Fifa ou seus parceiros.

Assista ao vídeo: Como funciona o esquema de corrupção na FIFA

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFifacorrupção

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.