Adilson Batista atribui vitória à cobrança no vestiário

O técnico Adilson Batista atribuiu a vitória do Cruzeiro sobre o América-TO, no sábado, à cobrança que fez no vestiário, durante o intervalo da partida. O treinador criticou a postura do time no primeiro tempo e pediu maior empenho na etapa final.

AE, Agencia Estado

21 de março de 2010 | 12h13

"Nos 15 minutos iniciais o Cruzeiro jogou bem, criou algumas situações, poderia ter feito os gols. Não fizemos e depois a gente pecou, teve desatenção na marcação e eles saíram rápido. Tiveram três situações, fizeram um gol e poderiam ter feito outros. O Gilberto teve uma chance para empatar", avaliou.

A apatia no primeiro tempo custou a desvantagem no placar. Chrys inaugurou o marcador aos 26 minutos e deixou o América na frente. A virada só veio depois da "conversa" no intervalo, com gols de Roger e Kléber.

"O segundo tempo foi diferente. Outra motivação, outro espírito, a cobrança do próprio torcedor. Entraram mais dispostos. A entrada também do Roger e do Guerrón também criou dificuldades. Pelo segundo tempo a gente fica contente", aprovou Adilson.

Os próprios jogadores reconheceram a eficácia das cobranças do técnico. "O Adilson está de parabéns. Nós temos que dividir o mérito, ele foi fundamental na ''dura'' que deu no vestiário. A gente estava dormindo mesmo", disse o volante Fabinho.

"Jogamos mal no primeiro tempo e o Adilson cobrou. O time tem condição de jogar sempre como foi no segundo tempo, com velocidade, tocando a bola rápido, para chegar o mais rápido possível. É uma característica que surpreende os adversários", comentou o goleiro Fábio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.