Lucas Uebel/Divulgação
Lucas Uebel/Divulgação

Adilson Batista culpa arbitragem por derrota do São Paulo

'Nós tivemos um gol mal anulado. O Casemiro não fez falta em ninguém', reclamou o técnico

AE, Agência Estado

11 de setembro de 2011 | 21h04

SÃO PAULO - O técnico Adilson Batista prometeu na sexta-feira que o São Paulo, que vinha de duas vitórias, também se preocuparia em jogar bem e convencer contra o Grêmio - algo que não fez desde que ele chegou ao Morumbi. A promessa não foi cumprida e o treinador preferiu culpar a arbitragem. Lembrou o lance em que Héber Roberto Lopes marcou falta de Casemiro sobre Adilson. Depois do apito, o volante são-paulino cabeceou com classe e balançou as redes. No lance seguinte, o Grêmio abriu o placar.

"Nós tivemos um gol mal anulado. O Casemiro não fez falta em ninguém. Depois deste lance, tomamos o gol", reclamou o treinador. "Fomos prejudicados. O critério foi diferente. Teve a pressão da torcida, o árbitro amarelou todo o nosso time e isso gera insegurança. No outro lado, bateu, deu cotovelada e nada aconteceu".

Pelo lado do São Paulo, foram amarelados Juan (por falta pesada), Dagoberto (que passou uma rasteira, por trás, em Saimon) e Casemiro, que simulou um pênalti. Cinco gremistas levaram cartão amarelo, inclusive Marquinhos, também por se jogar na área.

Rogério Ceni também insinuou que o time foi prejudicado pela arbitragem. "O empate seria uma vitória aqui hoje pela forma como o jogo foi conduzido desde o início. A gente sabe como é. A gente sabe como é...", acusou o capitão são-paulino. "Assim fica difícil o São Paulo chegar. Não vão nos deixar ganhar novamente."

Já o garoto Lucas encontrou na própria equipe, que só obrigou Victor a fazer uma defesa, a causa desta derrota. "A gente tinha de ser mais agressivo, não pensar só em marcar. A transição para o ataque tinha de ser mais rápida, recebi poucas bolas", disse ele ao final do jogo, repetindo o mesmo discurso de antes do intervalo.

"Não tem de entrar com esse pensamento, temos de sempre buscar vencer os jogos", lembrou Lucas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.