Adilson Batista elogia Ceará e diz preferir rivais ofensivos

Vasco enfrenta o dono do melhor ataque do campeonato no próximo sábado precisando da vitória para encostar no líder

Estadão Conteúdo

15 de agosto de 2014 | 13h05

Considerado o time a ser batido na Série B em razão da sua história gloriosa, o Vasco terá pela frente neste sábado um adversário ofensivo, dono do melhor ataque, com 28 gols marcados, e também líder da competição. Mas apesar de não economizar nos elogios ao Ceará, o técnico Adilson Batista revelou a sua preferência por adversários que adotam um estilo de jogo mais ofensivo.

"Prefiro enfrentar adversários bastante ofensivos, é uma opinião minha. O Ceara é um time organizado, que joga com duas linhas de quatro e com dois na frente. Conheço grande parte do elenco, o trabalho é bem desenvolvido e o sistema está funcionando", afirmou o treinador vascaíno.

Adilson lembrou que, além da ótima campanha na Série B, o Ceará também entrará em campo embalado pela classificação às oitavas de final da Copa do Brasil, garantida com duas vitórias sobre o Internacional. "Eles vêm numa batida interessante, em jogos que conseguiram vencer. Tem elenco, com excelente jogadores. Um time entrosado, que tem uma manutenção e contratou jogadores", comentou.

O treinador vascaíno elogiou especificamente o atacante Magno Alves, a quem enfrentou quando trabalhou no futebol japonês, e é o vice-artilheiro da Série B, com oito gols, e um dos destaques do Ceará. "O Magno é um jogador que conheço, ganhou um campeonato para o Gamba Osaka, no Japão. Um jogador inteligente, frio para finalizar e dar assistência", disse. 

Com tantos elogios ao adversário, Adilson conta com o apoio do torcedor neste sábado, no Estádio de São Januário, para que o Vasco consiga superar o Ceará no duelo entre os dois primeiros colocados da Série B. "Já vivenciamos isso. Tem sentido que eles estão querendo ajudar. Já trabalhamos em São Januário cheio e sabemos como é. Adversário é difícil e a importância deles é fundamental", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.