Adílson pede muito e Juventude recua

Exigências de última hora complicaram a ida do técnico Adílson Batista para o Juventude. O anúncio oficial, previsto para acontecer nesta terça-feira, não ocorreu e o clube gaúcho já busca outras opções. Artur Neto, do Botafogo-SP, e Muricy Ramalho, do Santa Cruz, são as prioridades.O Juventude já tinha acertado tudo com o procurador de Adílson, Jorge Machado. Mas o treinador pediu que o anúncio só ocorresse depois do final da participação do Mogi Mirim no Campeonato Brasileiro da Série C, no último domingo. O Mogi conseguiu subir para a segunda divisão nacional, só que o negócio com o clube gaúcho acabou se complicando.Jorge Machado e o futuro presidente do Juventude, Marcos Cunha Lima (assume oficialmente dia 2), tinham um encontro marcado no último fim de semana, mas o empresário não pôde comparecer. Adílson, que começou a carreira de treinador no Mogi, ganhando R$ 4 mil - depois, passou para R$ 7 mil -, estava pedindo R$ 20 mil para comandar o clube gaúcho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.