Adolescente baleado após Ba-Vi segue em estado grave

O adolescente Wesley Almeida, de 14 anos, baleado no rosto logo depois de deixar o Estádio de Pituaçu, na noite de domingo, após o primeiro jogo da final do Campeonato Baiano, entre Bahia e Vitória, apresenta um quadro de saúde grave, mas estável, segundo médicos do Hospital Jorge Valente.

TIAGO DÉCIMO, Agência Estado

26 de abril de 2010 | 19h13

Ele está internado na Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica desde a madrugada desta segunda-feira. Inicialmente, ele havia sido levado para o Hospital Geral do Estado de onde foi transferido.

Segundo testemunhas, o adolescente, que deixava a área do estádio a pé, teria sido atingido por disparos feitos de dentro de um carro com torcedores do Vitória. A bala entrou sob o olho direito e alojou-se na mandíbula do jovem.

Na tarde desta segunda, ele foi submetido a uma tomografia para que a possibilidade de retirada do projétil fosse avaliada. Até o início da noite, os médicos ainda não haviam chegado a uma conclusão.

A polícia ainda não conseguiu identificar o autor do disparo, mas investigadores trabalham com a hipótese de que o crime tenha sido premeditado. Segundo a Polícia Militar, a suspeita vem do fato de essa ter sido a única ocorrência grave registrada nos arredores do estádio - as outras cinco foram relativas a furtos e consumo de drogas.

O Vitória venceu o clássico por 1 a 0 e aumentou a vantagem na decisão do campeonato. Com o resultado da noite de domingo, o Vitória fica com o título mesmo se perder por 1 a 0 no jogo de volta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.