Adoniran deve substituir Maldonado no Santos

Volante sofreu uma lesão na coxa direita em treino do Chile e dá chances ao jogador que anulou Valdívia

Sanches Filho, Especial para o Estadão

17 de outubro de 2007 | 22h13

A provável ausência de Maldonado, que sofreu contratura muscular na coxa direita em treino da seleção chilena - não chega a preocupar os santistas. É que Adoniran, que o Santos contratou do Ituano depois do Campeonato Paulista, anulou o mago Valdívia no clássico com o Palmeiras, sábado à noite, na Vila Belmiro, e mostrou que está pronto para ser titular. "A gente fica triste pela contusão do Maldonado, mas estou preparado para uma nova oportunidade e espero tê-la", disse o volante. "A cada nova chance que tenho de jogar no lugar dele vai ficando menos complicado, mas a responsabilidade é sempre grande. O segredo é procurar simplificar." Na véspera do jogo contra o Palmeiras, Adoniran disse que Valdívia "ia apanhar muito por ser um jogador habilidoso" e suas palavras foram mal interpretadas. Mesmo assim, o volante não se abateu e marcou bem o chileno. "Nem fiquei sabendo que aconteceu isso, porque procuro não ler jornais e nem ouvir programas esportivos na véspera de jogos para não sofrer nenhum tipo de influência." Adoniran disse que nos jogos contra adversários ameaçados pelo rebaixamento o Santos vai primeiro se preocupar em não tomar o gol para depois tentar a vitória. "Isso porque o nosso time sempre acaba fazendo pelo menos um gol. E vai ser assim já contra o Figueirense", revelou.  Antônio Carlos Cinco meses e quinze dias depois de sofrer ruptura dos ligamentos cruzados do joelho esquerdo, Antônio Carlos, 38 anos de idade, participou do primeiro coletivo, entre juvenis, nesta quarta-feira, antes do treino dos profissionais, no CT Rei Pelé. Vanderlei Luxemburgo e parte de sua equipe de auxiliares acompanharam atentamente. O cinegrafista da comissão técnica, Alexandre Ceolin, fez imagens dos movimentos do zagueiro para servir de base para a análise do fisioterapeuta Nilton Petrone, o Filé. A respeito da possibilidade de trabalhar no Corinthians, como auxiliar-técnico ou gerente de futebol, Antônio Carlos não disse que sim e nem não. "Tenho três irmãos do futebol e um deles é Andrés Sanchez, com quem me encontro uma ou duas vezes por semana. Domingo vou à primeira comunhão da filha dele", contou. Caso se sinta em condições, o zagueiro diz que prefere jogar mais seis meses pelo Santos, na esperança de ajudar na conquista da terceira Copa Libertadores pelo clube da Vila Belmiro.VisitaMano Brown, do Racionais MC, assistiu ao treino do Santos, no CT Rei Pelé. Ao vê-lo, o auxiliar de treinador de goleiros Edinho, filho do rei Pelé, atravessou o campo e foi conversar com o rapper, que é seu grande amigo.

Tudo o que sabemos sobre:
Santos FCBrasileirão Série A

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.