Adrianinho fora da seleção austríaca

O meia Adrianinho, da Ponte Preta, viu frustrados nesta quinta-feira, seus planos de defender a seleção da Áustria. Ao contrário do que se esperava, o jogador não foi chamado para os dois próximos jogos da equipe, marcados para os dias 26 de março e 2 de abril. Adrianinho - que tem ascendência austríaca - tinha tudo preparado para viajar para a Europa no domingo e deveria defender a seleção do país no amistoso contra a Grécia (dia 26) e na partida contra a República Checa (dia 2), pelas eliminatórias da Eurocopa 2004. Os motivos da não convocação não ficaram muito claros. Segundo a Federação Austríaca de Futebol é resultado de uma somatória de fatores, que vão desde o temor de um atentado terrorista por conta do conflito no Oriente Médio, até eventuais problemas de documentação. "Seria precipitado convocá-lo agora, em cima da hora, na correria", comentou o treinador Hans Krankl. O técnico não descartou, no entanto, a possibilidade de chamar o brasileiro para o jogo contra a Escócia, dia 30 de abril. Em Campinas, a confirmação de que Adrianinho ficou de fora da lista de convocados foi recebida com um misto de frustração e tristeza. A direção da Ponte Preta já tinha em mãos toda a documentação solicitada pela Federação Austríaca. Tinha, inclusive, um atestado da CBF de que o meia jamais defendeu a seleção brasileira, nem mesmo nas categorias de base - condição primordial para que pudesse integrar a seleção de um outro país. O clube também já tinha reservado uma passagem para domingo à tarde. "É uma pena, porque eu estava motivado", comentou o jogador à tarde sem esconder a decepção. Adriano, de 22 anos, cujo pai é austríaco,vê com otimismo uma experiência no futebol europeu. "Seria a chance de abrir espaço num mercado difícil", comentou. Diante da possibilidade de viajar para a Europa, o meia nem vinha treinando com o time da Ponte Preta e está fora dos planos do técnico Abel Braga para o jogo contra o Marília, nesta sexta-feira, pela última rodada do Torneio da Morte do Campeonato Paulista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.