Divulgação
Divulgação

Adriano é denunciado e pode pegar até um ano de prisão

Ex-atacante do Flamengo e ex-policial respondem por crime de lesão corporal por causa de disparo ocorrido em 2011

O Estado de S. Paulo

14 de novembro de 2012 | 23h42

RIO - O atacante Adriano e o ex-policial Júlio Cesar de Oliveira foram denunciados ontem pelo Ministério Público do Estado do Rio por lesão corporal em razão do tiro que feriu um dedo da mão esquerda de Adriene Cyrilo Pinto, disparado dentro do carro do jogador, no dia 24 de dezembro de 2011.

Os denunciados vão responder pelo artigo 129, parágrafo 6.º, combinado com o artigo 13, parágrafo 2.º, alínea C, ambos do Código Penal. Adriano pode pegar até um ano de prisão, de acordo com as penas previstas. A Justiça marcou a audiência de instrução e julgamento para o dia 13 de dezembro.

 

No último dia 6, ocorreu uma audiência preliminar do caso no 9º Juizado Especial Criminal - Adriene, com um problema de saúde, não compareceu. Foi proposto um acordo com a vítima, que seria de um pagamento entre 30 a 150 salários mínimos (de R$ 18.660,00 a R$ 93.300,00). Mas Adriano e o ex-policial, que trabalhava como seu segurança, não aceitaram.

Tudo o que sabemos sobre:
Adrianofutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.