Adriano e Maicon chegaram bêbados a treino, diz jornal

Atacante brasileiro pode até ser internado em clínica na Suíça por conta de seu problema com o álcool

AE, Agencia Estado

12 de dezembro de 2008 | 10h31

Os brasileiros Adriano e Maicon, da Inter de Milão, chegaram bêbados ao treino da equipe, na quinta, e foram enviados de volta para casa pelo técnico José Mourinho, segundo a imprensa italiana publica nesta sexta-feira.Dê seu palpite no Bolão Vip do LimãoO treinamento, marcado para às 10h30, era a reapresentação dos jogadores após a partida de terça-feira, contra o Werder Bremen, pela Liga dos Campeões da Europa. De acordo com a la Gazzetta dello Sport, principal diário esportivo do país, os dois jogadores teriam chegado antes do horário agendado, mas sem condições de participar da atividade.Em seu site oficial, a Inter de Milão não nega o fato, mas afirma que os jogadores foram liberados do treinamento por causa de contusão. "Em relação ao conteúdo de alguns jornais de hoje [sexta-feira], a Inter esclarece que, na sessão de ontem [quinta], na reapresentação do elenco após um dia de descanso, Adriano foi encaminhado ao departamento médico devido a um estiramento na coxa direita [para o qual já foi programado um trabalho específico de recuperação] ocorrido no primeiro tempo de Werder Bremen x Inter", diz a nota."No que diz respeito a Maicon, começou um trabalho especial de recuperação individual, como foi programado para o jogador por ter sido o mais acionado no jogo de terça-feira pela Liga dos Campeões."A la Gazzetta dello Sport afirma ainda que Maicon e Adriano não serão relacionados para a partida de domingo, contra o Chievo, pelo Campeonato Italiano.Este não é o primeiro incidente com Adriano. O jogador já chegou atrasado a um treino no final de outubro, após passar a noite em discotecas e ficou afastado da equipe por cinco jogos. Com o novo problema, o brasileiro pode ser negociado já em janeiro, na janela de transferências do futebol europeu.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolInter de MilãoAdrianoMaicon

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.