Adriano festeja retorno ao futebol: 'Me senti novamente um jogador'

Atacante não entrava em campo desde o dia 4 de março de 2012, quando atuava pelo Corinthians

Agência Estado

14 de fevereiro de 2014 | 09h13

CURITIBA - Foram apenas oito minutos em campo. Mas foi o suficiente para dar novo ânimo ao atacante Adriano. O polêmico jogador voltou aos gramados na noite de quinta-feira, ao defender as cores do Atlético Paranaense no jogo contra o The Strongest, pela Copa Libertadores, e não escondeu a empolgação por disputar novamente uma partida oficial.

"Pude pisar no campo e sentir a emoção e a tensão de uma partida. Muito tempo que não sentia um friozinho na barriga como jogador. Mesmo acostumado, como fiquei muito tempo sem jogar, senti isso e é bom", declarou Adriano. "Me senti novamente um jogador de futebol. Estou muito feliz de entrar e correr um pouco. Foi muito importante para mim."

"Escutar a torcida gritando seu nome é muito emocionante, de verdade. Esse dia já está marcado. Hoje foi o retorno de tudo na minha vida. Um dia que nunca vou esquecer, depois de tudo que passei, poder voltar a jogar é muito importante", disse o atacante.

Adriano não entrava em campo desde o dia 4 de março de 2012 - defendeu o Corinthians no clássico com o Santos, pelo Paulistão. Desde então, foi dispensado pelo clube paulista. Negociou um retorno ao Flamengo, sem sucesso. E tentou conversas com outros times para voltar aos gramados em 2013.

A negociação só avançou com o Atlético, onde treina desde dezembro. O contrato, porém, só foi assinado nesta semana. "O Atlético colocou pessoas para me ajudar, para que pudesse retornar o Adriano pessoa e depois o Adriano jogador. Foi um trabalho desde dezembro e estou cumprindo tudo que me passaram. Estou treinando normalmente e consigo fazer tudo o que os outros jogadores fazem, então falta pouco", afirmou.

Ainda sem ritmo de jogo, Adriano diz contar com apoio da família e da torcida, que gritou seu nome na noite passada, para recuperar sua melhor forma física e técnica. "Estou me sentindo muito bem. Minha família, meus amigos e as pessoas que apostaram em mim nunca perderam a confiança. Ainda não dei a volta por cima totalmente, mas uma pequena volta."

"Tem uma longa estrada e espero que possa continuar nessa mesma concentração, pois estou no caminho certo. O presidente acreditou em mim. Os jogadores e o clube sempre me deram apoio. Não é só porque faço parte deste grupo, mas aqui tem um grupo de verdade, que merece muita coisa. Não são apenas jogadores e, sim, amigos", declarou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.