Adriano, nova esperança do São Paulo

O volante Adriano se apresentou hoje ao novo clube com a obrigação de resolver os problemas da criticada zaga são-paulina. "Nós o trouxemos para que ele ajude a acertar de vez a nossa defesa", intimou o diretor de Futebol Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco. "É, minha intenção é essa mesmo, vim para ajudar", limitou-se a dizer o ex-jogador da Portuguesa Santista, de 23 anos. Para a parcela dos torcedores que já estão sentindo saudades do volante chileno Maldonado, que deve deixar o clube, as notícias são boas, já para quem queria mudanças... "Tenho um estilo parecido com o do Maldonado, com muita garra e marcação. Mas também sei sair jogando", definiu-se Adriano. O jogador chamou a atenção da diretoria são-paulina nas duas partidas válidas pela semifinal do Campeonato Paulista, quando teve a função de marcar o meia Kaká. E agradou. "Mesmo sendo um garoto novo, tem boas chances de resolver nossos problemas na defesa. Já vi de tudo no futebol", disse Leco. Se o tamanho da responsabilidade assusta, Adriano tem pelo menos como consolação o fato de que outros atletas devem chegar ao clube para dividir o pesado fardo. Na queima de estoque da Portuguesa Santista, o São Paulo trouxe Adriano e deve anunciar até o fim da semana as chegadas de Rico (atacante) e Souza (meia), principais destaques da equipe da Baixada. O atacante Renatinho, do Marília, de 19 anos, também está sendo negociado. Pelo jeito, vai sobrar gente no elenco do São Paulo. Leco confirmou ontem que está apenas aguardando o posicionamento do vice-presidente de Futebol do São Caetano, Luiz de Paula, sobre a proposta para trazer o zagueiro Serginho. O dirigente explicou que o clube ofereceu na negociação os atletas Kléber (atacante) e Daniel (volante), ambos fora dos planos do técnico Oswaldo de Oliveira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.