Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Adriano promete que falará menos e fará mais em 2007

Depois de passar uma péssima fase na Inter de Milão e na seleção brasileira, o atacante Adriano, em entrevista publicada no site do clube italiano, falou com rara sinceridade sobre os principais assuntos que o afligiram em 2006."Eu preciso continuar trabalhando e não falar tanto. Assim vou mostrar que sou um grande jogador", disparou o atacante, que no sábado fez dois gols em um amistoso da Inter contra a seleção do Bahrein.Adriano ficou nove meses sem balançar as redes pelo time italiano em 2006. Só voltou a marcar na última rodada de 2006, na vitória contra a Atalanta. Já em 2007, foi muito bem na primeira atividade da equipe neste ano, no amistoso disputado em Manama, capital do país asiático.Aliás, a partida terminou 6 a 1 para a Inter. Além dos dois de Adriano, o também brasileiro Maicon marcou um, o sueco Ibrahimovic fez outro e Mariano Gonzalez marcou dois. Hussain descontou."O atacante vive de gols, tudo fica mais difícil quando eu não marco. Passei por um momento muito difícil psicologicamente, mas tive calma para esperar, pois sabia que uma hora ou outra o gol iria acontecer", explicou Adriano.O atacante reconheceu que nem sempre concordou com o técnico da Inter, o italiano Roberto Mancini. "Algumas vezes eu fiquei nervoso com ele, mas ele me ajudou muito. Eu poderia estar certo algumas vezes, mas preciso estar preparado para escutar críticas, principalmente de alguém como ele, que foi um ótimo jogador."No final, Adriano deixa o rótulo de ídolo de lado e se diz uma pessoa normal. "Sou uma pessoa comum, e pessoas comuns cometem erros. Eu cometi os meus, mas aprendi com eles e ainda tenho muito o que aprender. Não nasci perfeito."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.