Adriano só quer saber de descansar

Recuperado da pancada na cabeça, que provocou seu desmaio em campo e o deixou internado uma noite no hospital em Milão, o atacante Adriano chegou na tarde desta sexta-feira ao Rio, para passar as festas de fim de ano com a família. O jogador brasileiro da Internazionale veio com a recomendação médica para descansar e evitar jogar futebol - ele, inclusive, cancelou sua participação em uma partida beneficente em São Paulo.?Na hora (do choque) não senti nada. Tive uma parada respiratória e fiquei por dez segundos desacordado. Agora, vou aproveitar os dez dias de folga para passear com a família, rever amigos e ir à praia?, contou Adriano.Na última quarta-feira, durante a vitória da Inter sobre sobre o Empoli, por 4 a 1, em Milão, Adriano se chocou com o zagueiro Raggi em uma disputa de bola aérea e caiu inconsciente em campo. Antes disso, ele tinha feito o primeiro gol do jogo, o seu 10º no Campeonato Italiano.Levado imediatamente para o hospital, mesmo depois de já ter acordado, Adriano passou por uma bateria de exames, que não apontaram nenhuma lesão ou trauma craniano. Apesar disso, por recomendação médica, ele precisará ficar em repouso durante sua visita ao Brasil, que vai até o dia 2 de janeiro. Depois, quando voltar para a Itália, o atacante passará por uma nova bateria de exames. Adriano garantiu que se sente muito bem, apesar do susto. Mas revelou que o local do choque ainda está inchado e, quando pressionado, dói.Ao falar da seleção brasileira, Adriano alertou que o time não pode se deixar influenciar pelo favoritismo na Copa de 2006. "Os jogadores lá na Itália estão falando que será fácil o Brasil ser campeão porque conta com o quadrado mágico: Kaká, Ronaldinho Gaúcho, Ronaldo e eu. Mas, não é bem assim", avisou o atacante. "Sabemos o que precisamos fazer. É ter concentração e aplicação em campo. E o Brasil já mostrou que tem uma grande capacidade em conseguir essas virtudes."

Agencia Estado,

23 de dezembro de 2005 | 20h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.