Adriano também que ser liberado

Um dia depois do episódio Ronaldo, o técnico Carlos Alberto Parreira ganhou mais um problema na Seleção Brasileira que se prepara em Teresópolis para os jogos das Eliminatórias - contra Paraguai e Argentina - e para a Copa das Confederações, na Alemanha. A exemplo de Ronaldo, o atacante Adriano, da Inter de Milão, também quer ser liberado. O artilheiro disse nesta terça-feira que gostaria de participar dos dois jogos da final da Copa da Itália entre Inter e Roma - marcados para os dias 12 e 15 de junho - ou seja, um dia antes da estréia do Brasil na Copa das Confederações, contra a seleção da Grécia. "Vou conversar com o Parreira para ver o que é possível fazer. Eu gostaria muito de jogar as finais, mas não quero ficar mal no clube e nem na Seleção. Vamos conversar e ver o que é melhor?, afirmou o atacante no aeroporto Santos Dumont, pouco antes do embarque da Seleção para a Granja Comary.Ontem, antes de ser informado da intenção de Adriano, Parreira explicava as razões pelas quais não poderia liberar o jogador da Inter. ?O segundo jogo das finais será no dia 15 e no dia 16 nós estreamos contra a seleção campeã da Europa. Por causa disso, nem cogitamos a liberação de Adriano?, disse.A seleção inicia na tarde desta terça os preparativos para os jogos das Eliminatórias. Além da ausência de Ronaldo - dispensado inclusive da Copa das Confederações - Parreira não contará com Robinho, Ricardinho e Grafite, que foram liberados para participar das partidas de quarta-feira pelos seus clubes na Taça Libertadores de América. Eles se apresentarão somente na quinta-feira.A Seleção treina na Granja Comary até sexta-feira e, à noite (20h45), embarca para Porto Alegre, onde no domingo enfrenta o Paraguai. Três dias depois, o Brasil pega a Argentina, em Buenos Aires.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.