Divulgação/ 6/4/2012
Divulgação/ 6/4/2012

Adriano tem uma carreira conturbada e pode estar ganhando sua última chance

Atacante passou por grandes clubes, foi destaque pelos gols e também pelas confusões em que se envolveu

21 de agosto de 2012 | 19h38

RIO - Adriano vai defender o Flamengo pela terceira vez na carreira. Ele acertou com o clube nesta terça-feira. O acordo pode ser sua última chance na carreira. Centroavante de primeira grandeza, o Imperador alternou altos e baixos na carreira e hoje é persona non grata por muitos lugares. Veja abaixo um resumo de sua trajetória no futebol.

INTERNAZIONALE - Foi no clube italiano que Adriano começou a se destacar, tanto no futebol quanto nas polêmicas. Logo após chegar à Itália, em 2001, sem render o esperado, foi emprestado à Fiorentina e, em seguida, foi jogar no Parma, parceiro da Inter na ida de Adriano para o país.

Em 2004, com o fim da parceria, Adriano voltou a ser jogador exclusivo da Inter. Marcou 15 gols em 16 partidas disputadas, virou ídolo da torcida e ganhou o apelido de "Imperador". 

Mas a morte do pai o abalou. Em 2006 já se envolvia em brigas com os argentinos do time, em especial Verón, com quem declarou que "Não conversava". Após passar um semestre no São Paulo, a relação piorou. O técnico José Mourinho não aguentava mais as baladas do atacante, chegando a deixa-lo no banco de reservas após saber de excessos na comemoração de aniversário de Adriano. Sumiu após um jogo da seleção brasileira, disse não querer morar mais na Itália e teve o contrato rescindido pelo clube.

SÃO PAULO - Apesar de ser o momento mais tranquilo de Adriano nos últimos anos, o atacante também teve problemas no tricolor paulista. Em março de 2008 chegou atrasado a um treino, bateu boca com o fisioterapeuta e se recusou a realizar trabalho físico. Após deixar o Corinthians, três anos depois, dirigentes do São Paulo deram declarações sobre a passagem do atacante pelo clube, alegando que ele era figura carimbada nas baladas paulistas e que funcionários do clube tinham que correr atrás dele para evitar exageros.

FLAMENGO - Último clube de destaque de Adriano. Fez 48 partidas e marcou 34 gols. Se envolveu em diversos problemas. Foi acusado diversas vezes de envolvimento com traficantes da Vila Cruzeiro (comunidade onde cresceu). Comprou uma moto para a mãe de um bandido procurado e protagonizou um escândalo, após a namorada, joana machado, o ter pego junto com outros jogadores rubro-negros em um baile funk.

ROMA - Voltou para a Itália após declarar que não se sentia feliz no país. Fez apenas oito jogos pela equipe e não marcou nenhum gol. Durante a folga de Ano Novo, decidiu prolongar as férias, se recusou a fazer um teste de bafômetro no Rio de Janeiro e se atrasou na reapresentação. Com diversas lesões, deixou a equipe após uma lesão no ombro.

CORINTHIANS - No alvinegro também jogou apenas oito partidas, marcando dois gols (um na reta final do campeonato brasileiro, contra o Atlético-MG). Se tratou da lesão adquirida nos tempos de Roma, mas sofreu um rompimento no tendão de aquiles que o afastou dos gramados. Se envolveu em um acidente com uma arma de fogo, onde uma moça ficou ferida. Teve seu contrato rompido com o time de Parque São Jorge, que alegou que o atacante não honrava os compromissos com o clube, faltando as sessões de fisioterapia.

Atualizado às 20:23

Tudo o que sabemos sobre:
futebolbrasileirãoadrianoflamengo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.