Adriano teria sido chantageado por fotógrafo na Itália

A fase do atacante Adriano, da Inter de Milão, não é nada boa. Após ser flagrado em fotos numa festa e ser punido pelo clube, o nome do jogador voltou a aparecer em outro escândalo no país - e novamente ligado a um fotógrafo.Desta vez, o brasileiro e mais os jogadores Francesco Totti, Alberto Gilardino, David Trezeguet e Christian Vieri, assim como o motociclista Marco Melandri, apareceram nas investigações da procuradoria da região de Potenza como vítimas de supostas chantagens feitas por um fotógrafo.Segundo informações publicadas nesta terça-feira por jornais italianos, todos foram alvo de uma suposta chantagem, em que teriam de pagar para evitar a publicação de determinadas fotografias. Estas fotos, sempre tiradas em festas ou conhecidas boates de Milão, poderiam ter conseqüências negativas para seus respectivos casamentos ou namoros.O principal envolvido na operação é o fotógrafo Fabrizio Corona, que possui um estúdio em Milão e é conhecido amplamente nos ambientes do mundo do espetáculo italiano. Ele e mais onze pessoas já foram detidas e estão numa prisão em Potenza.A investigação se apóia nos supostos crimes de formação de rede de chantagem, exploração da prostituição e tráfico e uso de drogas. Totti, capitão da Roma, teria pago pouco antes de seu casamento (já com sua companheira grávida, atualmente esperando seu segundo filho) cerca de ? 50 mil (cerca de R$ 138 mil) para evitar a publicação de fotos dele com uma atriz italiana.Já Francesco Coco, ex-jogador de Milan, Inter e Barcelona, teria pago para que não fossem mostradas fotos sua sem roupa numa festa com outros homens. A chantagem teria sido em janeiro, pouco antes de Coco ir à Inglaterra fazer testes com o Manchester United - o italiano não passou nos exames e acabou fechando com o Torino.Por outro lado, recusaram a chantagem Melandri, que não quis pagar ? 17 mil (quase R$ 47 mil) para evitar que fotografias suas junto a uma atriz pornô saíssem na mídia, e Vieri, que teria respondido que, "como solteiro, poderia fazer o que quiser".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.