Alex Silva/AE - 13/10/2011
Alex Silva/AE - 13/10/2011

Adriano vai à polícia e reafirma estar tranquilo sobre o caso

Atacante do Corinthians insinua que jovem atingida por disparo mentiu em depoimento aos policiais

estadão.com.br, RIO

26 de dezembro de 2011 | 19h05

RIO - O jogador Adriano chegou no 16.º DP, na Barra Tijuca,  para prestar novo depoimento sobre o tiro acidental que foi dado dentro de seu carro e atingiu a mão esquerda de uma jovem.  O atacante do Corinthians conversou com a imprensa pela primeira vez, desde o episódio, ocorrido na madrugada do último sábado.

Adriano comentou sobre a contradição de seu depoimento com o da jovem. Enquanto o atleta afirma que estava no banco do carona na hora do disparo, a estudante diz que Adriano estava no banco de trás.

"Não sei por que ela está fazendo isso contra mim. Mas quando acontece alguma coisa com o Adriano a repercussão é sempre muito grande", afirmou o jogador, que disse estar tranquilo quanto a possibilidade de responder na Justiça pelo episódio.

"Os exames (de resíduo de pólvora) vão comprovar o que realmente aconteceu",disse o atacante corintiano, que no primeiro depoimento, realizado no sábado, afirmou que foi a própria jovem que disparou a arma, acidentalmente.

No último sábado, Adriano e um amigo, o PM reformado Júlio César Barros, saíram de clube noturno, acompanhados de quatro mulheres. O episódio ocorreu dentro do carro do jogador com a arma de Barros, que segundo ele, estava debaixo do banco do automóvel.

Segundo o delegado Fernando Reis, Adriano pode responder por até dois crimes, caso seja provado que ele mentiu no depoimento: fraude processual e lesão corporal culposa.

O jogador e a vítima já passaram por exames para detectar presença de pólvora nas mãos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.